Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Brincar com o fogo!»

Vi-me na dificuldade de ter de explicar à minha filha, uma criança de 8 anos, o que se entende pelo dito popular: «Brincar com o fogo!»

Aproveito, assim, este espaço para, se possível, me esclarecerem se existe algum significado especial, ou se podemos entendê-lo, de uma forma prosaica, como uma acção, uma atitude ou um pensamento mais ousado, fora de padrões comummente aceites, que envolve determinados riscos, mais ou menos conscientes, e que, a sucederem-se, acabam por nos afectar. Daqui também, penso eu, a ideia de que «quem brinca com o fogo, queima-se!». Um exemplo, infelizmente actual, seria o acto de jogar na bolsa.

Por fim, interessar-me-ia perceber, a existir, a origem ou a razão do mesmo dito popular.

Obrigado, desde já, pela atenção dispensada.

Carlos Silva Professor Braga, Portugal 6K

Relativamente ao significado do dito popular, nada temos a acrescentar à explicação dada pelo consulente, que descreveu o significado e exemplificou o uso correctamente.
O único registo de provérbio que encontrámos referente a essa expressão foi no Dicionário de Provérbios, Adágios, Ditados, Máximas, Aforismos e Frases Feitas, de Maria Alice Moreira Santos: «"Quem brinca com o fogo, queima-se." Este provérbio é classificado na categoria Determinismo/Sabedoria: "Determinismo – inclui as sentenças marcadas pelo determinismo, pela força do destino e da fatalidade. Tendo em conta o cunho determinista com que frequentemente são verbalizados e legitimados, são considerados nesta categoria os casos em que essa característica é essencial." "Sabedoria – inclui as sentenças que se referem especificamente a saberes populares, conselhos, ensinamentos, constatações ou explicações de ocorrências. Sendo que é uma especificidade dos provérbios, adágios, ditados, máximas e aforismos veicularem uma sabedoria, apenas se inserem aqueles em que esta sabedoria é mais explícita."»

Quanto à origem, não existem registos. A explicação desta lacuna deve-se ao facto de os provérbios não pertencerem à tradição escrita, mas à tradição oral, passada de geração em geração, fazendo parte da sabedoria popular e erudita. Daí serem chamados ditos populares.

Ana Carina Prokopyshyn
Tema: Provérbios