A grafia e a pronúncia de afetar - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A grafia e a pronúncia de afetar

Vivo na Dinamarca há 45 anos. Agora com o Acordo Ortográfico como é que pronuncia a palavra afetado, na frase «as plantas são afetadas pelo tempo»?

Obrigado

Fernando Kvistgaard Tranbjerg J, Dinamarca 1K

A palavra é pronunciada exatamente como se lia a grafia anterior (afectado), ou seja, com e aberto em sílaba átona: afetado = "afètado". Dito de outra maneira: as palavras que, por aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, (AO 90), perderam as letras mudas c e p não sofrem qualquer alteração fonética por efeito dessa supressão gráfica, o que significa que casos como os de afetado, adotado ou conceção, que antes se escreviam, respetivamente, afectado, adoptado e concepção, mantêm abertos o e e o que ocorrem em sílaba átona ("afètado", "adòtado", "concèção").

No quadro do Acordo Ortográfico de 1945 (AO 45), as consoantes "mudas" c e p, que ocorriam sem serem proferidas em sequências consonânticas (afectado, adoptado), geralmente indicavam a abertura das vogais átonas precedentes.1 Com o AO 90, suprimem-se esses grafemas sem alteração fonética: afectado > afectado > afetado [ɐfɛtˈadu]; adoptar > adoptar > adotado [ɐdɔtˈadu] (cf. Vocabulário Ortográfico do Português do Portal da Língua Portuguesa).

Note-se que já antes a ortografia não assinalava nem com acentos nem com outros recursos gráficos vários casos de vogais abertas em sílabas átonas – cf. AO de 1945alterações de 1973: pegada (de , e não de pegar), fezada («grande fé/esperança»), cafezinho («café pequeno»), mezinha («medicamento caseiro»), pregar («fazer sermão», e não «cravar prego»).

1 No AO 45, Base VI, 3.º, estipulava-se o seguinte (sublinhado nosso): «Conservam-se, após as vogais a, e e o, nos casos em que não é invariável o seu valor fonético e ocorrem em seu favor outras razões, como a tradição ortográfica, a similaridade do português com as demais línguas românicas e a possibilidade de, num dos dois países, exercerem influência no timbre das referidas vogais: acção, activo, actor, afectuoso, arquitectura, colecção, colectivo, contracção, correcção, defectivo, dialectal, didactismo, direcção, director, eclectismo, electricidade, espectáculo, espectral, facção, faccioso, flectir, fracção, fraccionário, fractura, hecticidade, insecticida, inspecção, inspector, intelectual, leccionar, lectivo, nocturno, objecção, objectivo, Octaviano, Octávio, protecção, protector, secção, seccionar, sectário, sector, selecção, seleccionar, selectivo, subtracção, tracção, tractor, transacção, transaccionar; acepção, adopção, adoptar, adoptivo, anabaptista, baptismo, Baptista, baptistério, baptizar, capticismo, concepção, conceptáculo, conceptivo, conceptual, decepção, excepção, excepcional, exceptuar, imperceptível, intercepção, interceptação, interceptar, interceptor, Neptuno, neptunino, opticidade, optimate, optimismo, optimista, percepção, perceptível, perceptivo, preceptivo, preceptor, recepção, receptação, receptáculo, receptador, receptivo, receptor, septenário, septênviro, septiforme, septissílabo, septuagenário, septuagésimo, septuplicar, sub-reptício, susceptibilidade, susceptível; [...].»

Carlos Rocha
Tema: Acordo Ortográfico Classe de Palavras: verbo