Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Campo linguístico: Abreviaturas
Alexsander da Silva Oliveira Assistente Administrativo Brasília, Brasil 132

Gostaria de saber qual o emprego correto dos pronomes relativos na seguinte frase:

«A seguradora "a que ou à qual" pagamos o seguro do carro faliu.»

Entendo que «à qual» ocorre porque se entende o verbo pagar como VTDI [verbo transitivo direto e indireto], ou seja, paga-se algo (o seguro do carro) a alguém (a seguradora). Porém, não entendo por que poderá ocorrer «a que».

Franqueira Neto jornalista Macau, Macau 257

O ponto utilizado na abreviatura de uma palavra é dispensado quando a palavra abreviada termina uma frase, servindo o ponto final da frase para abreviar essa mesma palavra. Em resposta a pergunta anterior, ficou claro que o mesmo não se passa se a frase terminar com um outro sinal de pontuação diferente. No entanto, é comum ver-se o uso da abreviatura de "observações" normalmente seguida de dois pontos, sem o ponto da abreviatura da palavra [Obs:]. Isto é aceitável?

Laís Reis Tradutora Brasil 276

Gostaria de saber como os símbolos de €, £, e $ devem ser escritos – antes ou depois do número – na linguagem padrão da língua portuguesa. Por vezes, percebo que o euro se encontra à direita do valor, como em «30 €». Como não me refiro às outras moedas com tanta frequência, surgiu a dúvida de como escrevê-las corretamente. Alguém sabe?

Grata desde já.

Carlos Luz Docente Portimão, Portugal 644

[...] O símbolo informático «@» é usualmente conhecido com o nome de «arroba» somente em dois países: Portugal e Brasil. No resto do mundo diz-se «at», querendo a preposição de língua inglesa significar, neste caso, que em qualquer endereço de correio electrónico, as letras situadas antes do símbolo «@» designam o nome pelo qual o usuário do email é conhecido (mesmo que não seja o nome próprio); e as letras a seguir ao «@» informam-nos acerca do servidor no qual o email desse usuário está alojado. Assim, a utilização do símbolo informático «@» em contexto de escrita (quer dizer, fora da utilização estrita da finalidade de assinalar o email) é um exemplo extremo da devastação linguística, neste caso do politicamente correcto da «ideologia de género», que utiliza o argumento da neutralidade sexual como pretexto para danificar a língua portuguesa.

A utilização do «@» não deve confundir-se com empréstimo de palavras de outras línguas. Do francês, no passado, e do inglês mais recentemente, particularmente do inglês relativo ao contexto informático («hardware», «software», «mouse» etc.). Docentes universitários, inclusive, intoxicados pela epidemia intelectual e cognitiva da «ideologia de género», já começam a dirigir-se aos alunos escrevendo «tod@s», querendo significar «todos e todas» (pelos vistos, já não chega escreverem «todos/as»). Estamos em presença de um erro desvairado e monstruoso de escrita.

A propósito: alguém sabe como é que se pronuncia «tod@s»? Como reagir face à generalização da utilização linguisticamente errada do símbolo «@» na escrita? Apelar aos linguistas conscientes para que denunciem esta monstruosidade? Apelar para a Academia das Ciências?

Luis Novais Epidemiologista Lisboa, Portugal 350

Qual é a forma correcta: «infecção pelo VIH», ou «infecção por VIH»?

Muito obrigado. 

Luís Fernandes Professor Funchal, Portugal 896

IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera) é sigla ou acrónimo?

Carlos Araújo Professor São Paulo, Brasil 983

Na seguinte enunciado «Florestas devastadas, solo, ar e água contaminados, fauna em extinção - tudo faz crer o fim, futuros desertos», em futuros desertos, poderia haver dupla interpretação, isto é, futuro poderia ser adjetivo do substantivo deserto = deserto que há de vir; porém, poderíamos pensar no futuro que será despovoado, desabitado. Mesmo pelo contexto, poderíamos pensar que o futuro será desértico ou o deserto será vindouro. Estaria correto o pensamento?

Rosa Machado Aposentada Caldas da Rainha, Portugal 1K

Apareceu nas redes sociais um livro,"A Cosinheira das Cosinheiras", de Rosa Maria; procurei na BN, e vejo que uma 5.ª ed. é de 1900. Um amigo meu teima em como está mal escrito. Eu digo que está correto, em relação à época. Não me recordo é com que Acordo Ortográfico este s passou a z.

Muito obrigada.

Maria Luisa Salgado Professora Povoa de Varzim, Portugal 1K

Pretendo saber como articular [a vogal] em -oz, como em Estremoz...

Aprendi que o z abre a vogal, mas ouço dizer com frequência ESTREMÔS...

Obrigada.

Ana de Almeida Tradutora Lisboa, Portugal 1K

No âmbito do nosso trabalho [...], fomos confrontados com a seguinte dúvida:

– Quando nos referimos a milhão/milhões devemos utilizar um ou dois “m”? Devemos utilizar mmbtu ou mbtu? Mmscf ou mscf? Sendo BTU referente a British Thermal Unit.

– Em inglês utiliza-se os dois “m” e algumas empresas transpuseram essa opção para o português. Está correto?

Esta dúvida aplica-se também aos seguintes termos:

mmbbl: milhões de barris.

mmboe: milhões de barris de petróleo equivalente.

mmboepd: milhões de barris de petróleo equivalente por dia.

mmbopd: milhões de barris de petróleo por dia.

Em suma, o que está definido para a língua portuguesa no que se refere à abreviatura de medidas que se referem a milhões?

Agradecemos desde já a vossa preciosa ajuda.