João Pedro George - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
João Pedro George
João Pedro George
174

João Pedro George (1972, Moçambique), sociólogo, crítico literário, escritor, tradutor e professor universitário.

Licenciado em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa. É cronista na revista Sábado e colaborou no semanário O Independente e na revista Livros como crítico literário. Tem várias obras editadas, entre traduções, colaborações em obras coletivas entre outros trabalhos editoriais.

 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo
Na expressividade, única, da língua portuguesa

«Quinar», «pifar» ou mesmo  «lerpar»; «abotoar o sobretudo de madeira», «vestir o pijama de madeira», ir «para o andar de cima», «para o jardim das tabuletas»  ou «estudar botânica por baixo» – são algumas das expressões reunidas nesta crónica do escritor, tradutor e professor universitário João Pedro George «bem reveladoras do talento especial da língua portuguesa  para troçar com a ideia da morte».

* artigo publicado na revista Sábado n.º 777, de 21/03/2019, escrito conforma a norma ortográfica de 1945.