Acordo Ortográfico - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Português na 1.ª pessoa Acordo Ortográfico Controvérsias
Questões relativas ao Acordo Ortográfico.
Imagem de destaque do artigo

Texto de D'Silvas Filho sobre a Avaliação do Impacto do Acordo Ortográfico de 1990, do Grupo de trabalho da Assembleia da República. O texto completo está disponível na página pessoal do autor.

Imagem de destaque do artigo
Sobre a I Reunião do COLP

Comentário de D´Silvas Filho à primeira reunião do Conselho de Ortografia da Língua Portuguesa (COLP)

Imagem de destaque do artigo
Sobre a querela revogar vs. melhorar o Acordo Ortográfico de 1990

«Hoje, que tanto se valoriza a inovação e o "pensar fora da caixa", não fica nada bem dizer isto – mas a resistência indignada às regras do Acordo Ortográfico (AO) de 1990 configura, as mais das vezes, uma atitude reacionária. O povo português é em geral conservador no gosto e nos hábitos e convive mal com a mudança.» Quem o afirma é o jornalista José Cabrita Saraiva num artigo de opinião publicado após a aprovação do relatório apresentado pelo grupo de trabalho para a avaliação do impacto do AO90

Imagem de destaque do artigo
António Jacinto Pascoal vs. Lúcia Vaz Pedro

«Lúcia Vaz Pedro deu uma pálida ideia da sustentação às alterações gráficas para a língua portuguesa [emaranhando-se] numa teia de contradições, optando por um efeito de vitimização que não evitou o espectáculo menor de quem defende a todo o custo e sem qualquer brilho uma das piores opções tomadas ao nível da cultura portuguesa, na última década» escreveu o professor António Jacinto Pascoal num artigo saído no jornal Público no dia 16 de julho de 2019, a propósito dum debate realizado na última Feira do Livro de Lisboa

«Nesse debate, que não o foi – ripostou a professora Lúcia Vaz Pedro em artigo saído no mesmo jornal no dia 19 de julho de 2019  pois foi convocada toda uma plateia, excessivamente participativa, que "limpa os bigodes dos pingos de sopa", houve alguém que quis falar, quis explicar, que se prontificou a esclarecer, a debater (porque da discussão nasce a luz) e foi sistematicamente interrompida, insultada por uma geração "romântica", incapaz de aceitar que todos os "meninos e meninas LVP" deste país escrevem há quase uma década com a grafia que está em vigor.»

Um e outro artigo ficam nesta controvérsia, aqui e aqui 

Imagem recolhida, com a devida vénia, do jornal Público.

Imagem de destaque do artigo
Artigo a propósito de um debate na Feira do Livro de Lisboa

«No decorrer da apresentação da obra Por Amor à Língua, de Manuel Matos Monteiro – escreve o autor em texto, saído no jornal Público no dia 16 de julho de 2019 – Lúcia Vaz Pedro deu uma pálida ideia da sustentação às alterações gráficas para a língua portuguesa.»

Cf. resposta da professora Lúcia Vaz Pedro intitulada Os novos analfabetos do século XXI + Revogar ou não revogar o Acordo Ortográfico?

Imagem de destaque do artigo
Resposta da autora ao artigo Acordo Ortográfico? Revogar, claro!
Imagem de destaque do artigo
O ultranacionacionalismo linguístico no Brasil

«Demagogia, populismo e mesmo fake news estão em todos os aspetos da política, pelo que estariam, necessariamente, na política da língua», escreve* o jornalista português Henrique Monteiro a propósito de um artigo publicado no "Jornal de Letras" do Brasil propondo o reconhecimento da língua brasileira.


* in Expresso do dia 18 de maio de 2019

Imagem de destaque do artigo
2.ª iniciativa da Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa

O segundo grupo de trabalho constituído pela Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República para Avaliação do Impacto da Aplicação do Acordo Ortográfico de 1990 programou audições a várias entidades e personalidades com posições públicas sobre esta querela que se arrasta há mais de 20 anos. A seguir ficam os registos já disponíveis.

Imagem de destaque do artigo

Membros da Academia das Ciências de Lisboa – e os únicos linguistas de formação da respetiva Classe de Letras –, os autores criticam neste artigo publicado no semanário Expresso do dia 11 p.p a proposta constante no documento "Sugestões para o aperfeiçoamento do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa", que – além de «vã» e inoportuna» – consideram sem «o rigor científico indispensável a um empreendimento académico desta natureza». E perguntam: «Então, andaram os nossos grandes mestres da Filologia e da Linguística, portugueses e brasileiros, a labutar pela defesa da unidade essencial da língua e agora atraiçoamos esse património?»

Imagem de destaque do artigo

«Sendo uma convenção internacional, o AO só poderia ser modificado por acordo entre os governos dos países que o ratificaram», escreve neste apontamento o constitucionalista português Vital Moreira, em referência às proposta de alteração anunciadas pela Academia das Ciências de Lisboa, primeiro em notícia aqui reproduzida, e depois nas declarações prestadas pelo respetivo presidente, Artur Anselmo, em entrevista ao jornal “Público” de 12/12 p.p.