Sobre fatores de mudança linguística - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre fatores de mudança linguística

Estou a fazer um trabalho sobre factores de mudança linguística e gostaria que me ajudassem a definir melhor factores de mudança externa.

Obrigado.

Ana Cerquinho Estudante Porto, Portugal 3K

A pergunta pede a abordagem a um tema cuja complexidade não cabe no âmbito do Ciberdúvidas, pelo que me limitarei a traduzir um pequeníssimo artigo do Glossary of Historical Linguistics (Edimburgo, Edinburgh University Press, 2007), de Lyle Campbell e Mauricio J. Mixco:

«[fatores externos de mudança são] fatores que ajudam a explicar as mudanças linguísticas que se encontram fora da própria estrutura linguística e do organismo humano. Compreendem os usos expressivos da língua, as avaliações sociais positivas e negativas (prestígio, estigma), os efeitos de literacia, a gramática prescritiva, as políticas de educação, os decretos políticos, o planeamento linguístico, o contacto entre línguas, entre outros aspectos.»1

Também de Lyle Campbell, pode consultar Historical Linguistics An Introduction (Cambridge, Massachussets, MIT Press, 1998). Outra obra que posso recomendar é a de Brian D. Joseph e Richard D. Janda (eds.), The Handbook of Historical Linguistics, Malden, Oxford e Carlton, Blackwell Publishing, 2003).

1 Tradução livre de: «external causal factors, external factors. Factors taht help to explain language changes that lei outside the structure of language itself and outside the human organism. They include such things as expressives uses of language, positive and negative social evaluations (prestige, stigma), the effects of litteracy, precriptive grammar, educational policies, political decree, language planning, langauge contact and so on [...].»

Carlos Rocha