Restringido e restrito - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Restringido e restrito

Relativamente ao verbo restringir, consultei a vossa resposta em 16/04/2004, mas não fiquei esclarecida.

Restrito é exclusivamente um adjetivo? Ou seja, dizer algo como «o acesso foi temporariamente restrito» está errado?

Muito obrigado e cumprimentos.

Patrícia Costa Assistente administrativa Lisboa, Portugal 42

O vocábulo restrito tem preferencialmente uso adjetival.

Como se pode constatar na pergunta citada pela consulente, o verbo restringir teria duplo particípio passado, restringido e restrito, que se usariam com diferentes verbos auxiliares: ter/haver restringido, ser/estar restrito. À semelhança de outros verbos, a forma irregular, mais curta, é também usada como adjetivo.  Isto é, além de se usar nos tempos compostos e nas orações passivas, podemos inseri-la numa terceira categoria (recategorizá-la), a dos adjetivos, e usá-la como tal – «acesso restrito».

Importa assinalar, porém, que, como João Antunes Lopes afirma, «por vezes, esta forma [irregular] funciona como simples nome ou adjetivo, tornando-se difícil a determinação rigorosa do seu emprego e existência como particípio» (Lopes, João Antunes. Dicionário de Verbos Conjugados. Livraria Almedina: Coimbra, 4.ª ed. p. 423). Acerca de formas como correto ou inquieto, Rita Veloso afirma também que «para a maioria dos falantes [...] estas formas curtas têm unicamente propriedades adjetivais, visto que não podem ser usadas em contextos onde predomina a natureza verbal do particípio – ou seja nos tempos compostos e nas orações passivas. Podemos, portanto, supor que estão em vias de recategorização como adjetivos [...]» (Gramática do Português. Fundação Calouste Gulbenkian: Lisboa, 2.º vol, p. 1492).

Voltando, então, a restrito, considerem-se os seguintes exemplos:

(i) «O acesso à sala é restrito aos sócios»

(ii) ?«O acesso à sala foi restrito pelo segurança»

Em (i) temos restrito como adjetivo, com a função de predicativo do sujeito. Já em (ii), o caso complica-se, porque, apesar de estarmos perante uma oração passiva, o que obrigaria ao uso do particípio passado irregular, a mesma pode ter uma aceitação discutível. Com efeito, intuitivamente, afigura-se mais corrente a frase «o acesso à sala foi restringido pelo segurança», como forma passiva de «o segurança restringiu o acesso à sala». Sendo assim, dada a difícil compatibilidade de restrito com a frase passiva, ter-se-á de reconhecer que esta palavra tem somente uso adjetival. Nesta perspetiva, poderá dizer-se que a frase «o acesso foi temporariamente restrito» é aceitável*, não como frase passiva, mas, sim, como frase em que restrito é um adjetivo com a função de predicativo do sujeito, numa construção semanticamente afim de «houve temporariamente acesso restrito». 

* Embora restrito, como predicador, tenha propriedades semânticas que se combinam melhor com o verbo estar: «o acesso esteve temporariamente restrito»

Sara Mourato
Classe de Palavras: adjectivo
Áreas Linguísticas: Gramática