«O vento faz-se sentir» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«O vento faz-se sentir»

Hoje em dia é muito frequente ouvir-se o «fazer-se sentir». O vento «faz-se sentir», o calor «faz-se sentir», a inflação «faz-se sentir», o estrondo que «se fez ouvir», etc. É correcto dizer desta forma? Coisas inanimadas «fazem-se sentir»? Ou só seres com vontade podem fazer-se sentir? Não seria mais correcto dizer: «o vento que se sente», «o calor que sinto», etc?

Joana Valente Reformada Lousã, Portugal 560

Ambas as possibilidades apresentadas estão corretas: «O vento faz-se sentir» e «O vento que se sente».

O verbo fazer-se pode combinar-se com verbos que indicam perceção física ou psicológica, como compreender, entender, ouvir, perceber com o sentido de «levar as pessoas a» (cf. Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea).

Se o sujeito da frase, a utilizar com fazer-se + verbo, for uma entidade não animada, poderemos considerar que a frase se constrói com base numa animização, como acontece em:

(1) «O estrondo fez-se sentir.» (A palavra estrondo é aqui usada como agente capaz de desencadear algo)

O mesmo já não se poderá dizer da palavra vento, uma vez que sendo uma entidade animada tem a capacidade de se fazer sentir.

Acresce que o recurso a figuras de estilo na construção linguística é um processo comum e utilizado frequentemente, não constituindo incorreção.

Carla Marques
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo