O uso da palavra não como prefixo de negação - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O uso da palavra não como prefixo de negação

Ultimamente, tenho percebido o uso cada vez mais freqüente (ou frequente, pelo novo Acordo Ortográfico) da palavra não como prefixo de negação com relação a um adjetivo ou substantivo posterior como em: não-nascido (o que não nasceu) e não-ajustamento (ato de não ajustar). O que me chama atenção é a sutil diferença semântica entre usar o não e outro prefixo que indique negação: desajustamento, assim, me parece significar o «ato de fazer com que fique sem ajuste», enquanto não-ajustamento seria «o ato de não ajustar, de deixar de ajustar». Essa percepção estaria correta? De fato há uma diferença semântica entre usar um não e usar, se for possível, um prefixo como in ou des?

Muito obrigado!

Ygor Coelho Estudante Fortaleza, Brasil 2K

A diferença semântica que aponta é plausível, porque não com verbos marca simplesmente a negação do conteúdo desses verbos, enquanto des- corresponde não só a negação mas também a uma oposição a que pode estar associada um depreciação (ver M. H. Mira Mateus et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa, Editorial Caminho, 2003, pág. 965; Li Ching sobre a formação de palavras com prefixos em português actual, Boletim de Filologia, n.º 22, pág. 139).1 Com efeito, «não fazer» tem o sentido sentido de «abster-se de agir», enquanto desfazer assume a acepção de  «agir reduzindo em fragmentos, pedaços» (ver Dicionário Houaiss). Com substantivos (normalmente deverbais, isto é, derivados de verbos) o comportamento afigura-se semelhante: um não-ajustamento é a simples ausência de ajustamento, enquanto um desajustamento pode ser o resultado da alteração de um ajustamento prévio ou uma uma falta de ajustamento depreciativamente encarada.

Contudo, este valor opositivo de des- não é generalizável aos adjectivos; neste caso, o valor é negativo, igual ou muito próximo de não (ibidem): não-leal/desleal. Mesmo assim, é possível detectar uma depreciação ou um reforço da negação em certos contextos: «um combatente não-leal ao rei» vs. «um combatente desleal ao rei» (ver nota 1).

Em relação ao contraste entre não e in-, a diferença parece mínima, mas ainda é possível detectar um matiz de intensificação no prefixo in-: «ser não feliz» pode ser uma forma atenuada de «ser infeliz». 

1 O prefixo des- pode significar «aumento, reforço, intensidade»: desafastar, desaliviar, desapartar, desferir, desinfeliz, desinquieto (ver Dicionário Houaiss).

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma
Áreas Linguísticas: Morfologia Construcional; Semântica