Juíza presidenta - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Juíza presidenta

Há os substantivos "presidente", comum de dois gêneros, e "presidenta", feminino. Entendo que posso usar ambos para designar o cargo de uma mulher, certo? Porém, se eu usar um substantivo feminino antes, seria apenas correto o emprego de "presidenta"? A dúvida advém de observar em tribunais o uso de "juíza presidente".

Hilda McComb Pessoa Serventuária da Justiça Brasília, Brasil 7K

A Língua Portuguesa tem esta característica (e outras) de grande valor, que é a tendência para a distinção entre masculino e feminino, actualmente de muita utilidade, porque a mulher tem agora as mesmas funções que o homem. Há anos atrás, a mulher não tinha a função de juiz. Agora tem; por isso apareceu o feminino juíza. E outros femininos há, que é necessário que se divulguem: governanta, comandanta, arquitecta, adjunta, presidenta, estudanta, hóspeda, serventa, feiranta, negocianta, marida, astróloga, marinheira, alfaiata, ministra, chefa, etc.

A língua francesa não tem esta particularidade. Precisam de femininos e não sabem como formá-los. Não é erro, pois, dizermos juíza presidenta, embora este último vocábulo seja mais de cunho familiar e popular.

José Neves Henriques
Classe de Palavras: substantivo