Constituintes com as relações gramaticais de oblíquos e adjuntos - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Constituintes com as relações gramaticais de oblíquos e adjuntos

Gostaria que me ajudasse a responder às seguintes questões: Aplicando o teste de interrogativa, indique os constituintes com as relações gramaticais de oblíquos e adjuntos:

– A polícia interpelou rapidamente os insurgentes no centro da vila de Mocimboa da Praia.

– A polícia tirou os manifestantes do gabinete eleitoral.

– A polícia transportou os manifestantes para a cadeia.

Gostaria também que me ajudassem a indicar nas mesmas três frases as funções semânticas dos constituintes com as relações gramaticais de adjuntos.

Obrigada.

Ricardina Lídia Macuacua Secretária de dire{#c|}ção Maputo, Moçambique 7K

Os constituintes com relações gramaticais oblíquas são, por exemplo, «do gabinete eleitoral» e «para a cadeia» em:

– «A polícia tirou os manifestantes do gabinete eleitoral

– «A polícia transportou os manifestantes para a cadeia

O constituinte com a relação gramatical de adjunto é, por exemplo, «no centro da vila de Mocimboa da Praia», cuja função semântica é a de locativo (lugar onde), na frase:

– «A polícia interpelou rapidamente os insurgentes no centro da vila de Mocimboa da Praia

Ambos os constituintes são precedidos por uma preposição, a diferença entre oblíquos e adjuntos é que os primeiros são obrigatórios, e sem eles a frase é agramatical, desprovida de sentido, enquanto os segundos, como o próprio nome indica, são "opcionais" ou "adjuntos". Estes últimos podem manter uma grande variedade de relações semânticas (instrumento; comitativo; beneficiário; tempo; duração ou frequência; locativo ou direccional).

Exemplos:
(a) «O João cortou-se (com uma faca).» (Instrumental)
(b) «O João foi jantar (com o Manuel).» (Comitativo)
(c) «O João comprou um anel (para a Maria).» (Beneficiário)
(d) «O João janta (às 19h).» (Tempo) (todos os dias). (Frequência)
(e) «O João janta (na cantina)». (Locativo)
(f) «O João escreveu uma carta (para o Brasil).» (Direccional)

Ana Carina Prokopyshyn
Áreas Linguísticas: Gramática; Sintaxe