A regência do verbo transferir - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A regência do verbo transferir

Qual a regência do verbo transferir quando ele é transitivo indireto? Eu posso usar as preposições a e para?

Handlay Pinho Estudante Tianguá, CE, Brasil 42

O verbo transferir, enquanto verbo transitivo indireto, faz-se acompanhar das preposições e para. Veja-se:

1. «Transferir o trabalho para o João» 

2. «Transferir direitos a alguém».

Em 1 percebemos que transferir é utilizado no sentido de «passar, incumbir», enquanto em 2 o verbo significa «ceder, transmitir». 

Refira-se que este verbo não é um verbo somente transitivo indireto, mas sim transitivo direto e indireto porque seleciona sempre complemento direto e complemento indireto ou oblíquo. Nos exemplos apresentados temos os seguintes complementos diretos: «o trabalho», em 1, e «direitos», em 2. 

Sara Mourato
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Áreas Linguísticas: Sintaxe Campos Linguísticos: Regência