Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Teotónio R. de Souza
Teotónio R. de Souza
1K

Teotónio R. de Souza (1947) é professor catedrático na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, no departamento de História. É diretor do jornal da Associação dos Cientistas Sociais do Espaço Lusófono e diretor-adjunto da revista Fluxos e Riscos- Revista de Estudos Sociais.

 
Artigos publicados pelo autor

«Sem Acordo [Ortográfico], Portugal poderá ver-se ultrapassado pelo Brasil, e outros países da CPLP poderão ser aliciados por outros grupos linguísticos, como está já a acontecer no caso de Moçambique e a sua participação crescente na Commonwealth inglesa», defende o professor da Universidade Lusófona  e membro da Academia Portuguesa de História Teotónio R. de Souza , em entrevista ao “S...

Um projecto para os próximos decénios

Não venho fazer um elogio comemorativo dos 100 anos do nascimento do antropólogo-sociólogo brasileiro Gilberto Freyre, mas também não trago denúncias que se possam acrescentar ao repertório dos analistas do Estado Novo. Aceitei o convite para educar-me a mim. Tenho uma oportunidade de fazer uma leitura crítica de dois escritos de Gilberto Freyre. Poderei assim fazer alguns reparos sobre o “luso-tropicalismo” gilbertiano, t...

Tenho aqui um livro que a Penguin de Bombaim acabou de publicar. É editado por Jerry Pinto e contém uma selecção de textos de autores goeses e não-goeses, contemporâneos e antigos, que reflectiram sobre a cultura goesa. Intitula-se Reflected in Water. É uma publicação cuja leitura recomendo a todos os que querem promover a sério a lusofonia em Goa.

A Goa em que eu nasci tinha uma população com uns 300 mil católicos distribuídos por umas 109 paróquias, além de umas quatrocentas capelas, incluindo uma centena com capelães residentes, e um sem número de oratórios onde se celebravam funções religiosas. Enquanto algumas freguesias tinham somente algumas centenas de católicos, havia outras com uma população entre 6 e 12 mil paroquianos. Para cuidar de tanta messe havia uns 700 padres no território!

A Goa em que eu nasci tinha uma população com uns 300 mil católicos distribuídos por umas 109 paróquias, além de umas quatrocentas capelas, incluindo uma centena com capelães residentes, e um sem número de oratórios onde se celebravam funções religiosas. Enquanto algumas freguesias tinham somente algumas centenas de católicos, havia outras com uma população entre 6 e 12 mil paroquianos. Para cuidar de tanta messe havia uns 700 padres no território!
Para sustentar o zelo das almas e os padres...