Teotónio R. Souza (1947-2019) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Teotónio R. Souza (1947-2019)
Teotónio R. Souza (1947-2019)
3K

Teotónio R. de Souza (1947-2019). Historiador nascido em Goa, ex-sacerdote católico, foi fundador e diretor do Centro Xavier de Pesquisas Históricas. Era professor catedrático na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, no departamento de História. Foi diretor do jornal da Associação dos Cientistas Sociais do Espaço Lusófono e diretor-adjunto da revista Fluxos e Riscos- Revista de Estudos Sociais.

 
Textos publicados pelo autor

A Goa em que eu nasci tinha uma população com uns 300 mil católicos distribuídos por umas 109 paróquias, além de umas quatrocentas capelas, incluindo uma centena com capelães residentes, e um sem número de oratórios onde se celebravam funções religiosas. Enquanto algumas freguesias tinham somente algumas centenas de católicos, havia outras com uma população entre 6 e 12 mil paroquianos. Para cuidar de tanta messe havia uns 700 padres no território!

A Goa em que eu nasci tinha uma população com uns 300 mil católicos distribuídos por umas 109 paróquias, além de umas quatrocentas capelas, incluindo uma centena com capelães residentes, e um sem número de oratórios onde se celebravam funções religiosas. Enquanto algumas freguesias tinham somente algumas centenas de católicos, havia outras com uma população entre 6 e 12 mil paroquianos. Para cuidar de tanta messe havia uns 700 padres no território!
Para sustentar o zelo das almas e os padres...

Uma das recordações ou experiências muito positivas que eu guardo do ensino primário da era portuguesa em Goa é a prática de exames orais públicos já no primeiro grau ou na 3ª classe. Para uma criança de oito e nove anos isso já dava uma certa auto-confiança perante o público. E com os exames daquele tipo, os próprios professores ficavam sujeitos ao juízo dos presentes. Favoritismos óbvios tornavam-se difíceis.

Uma das recordações ou experiências muito positivas que eu guardo do ensino primário da era portuguesa em Goa é a prática de exames orais públicos já no primeiro grau ou na 3ª classe. Para uma criança de oito e nove anos isso já dava uma certa auto-confiança perante o público. E com os exames daquele tipo, os próprios professores ficavam sujeitos ao juízo dos presentes. Favoritismos óbvios tornavam-se difíceis.
Infelizmente, em face da ignorância e indisponibilidade da grande maioria das pop...

Curiosamente, apesar de Goa ser quase toda ela, do norte ao sul, uma faixa litoral banhada pelo Oceano Índico, e apesar do calor húmido que faz suar durante a maior parte do ano, a praia não tem tido tradicionalmente uma grande atracção para os Goeses para mitigar os seus verões. Existe uma explicação para isso: A região litoral era habitada pelos pescadores, e o solo arenoso que não presta para o cultivo de arroz, mas é bom para os palmeirais, é também habitado por outras castas não-brâmanes.