José Neves Henriques - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
José Neves Henriques
José Neves Henriques
18K

José Neves Henriques (1916 - 2008), professor de Português; consultor e membro do Conselho Consultivo do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Antigo professor do Colégio Militar, de Lisboa; foi membro do Conselho Científico e diretor do boletim da Sociedade da Língua Portuguesa; licenciado, com tese, em Filologia Clássica pela Universidade de Lisboa; foi autor de várias obras de referência, entre as quais Comunicação e Língua Portuguesa e A Regra, a Língua e a Norma (Básica Editora).

 
Textos publicados pelo autor

Sobre as frase em causa, vejamos:

A frase a) tem as palavras na ordem sintáctica normal. Por isso, a frase b) leva-nos a pô-la de lado, discordando do modo como se encontra formada sintacticamente no que respeita à posição dos vocábulos:

«O candidato passei a ser eu.»

Se o sujeito desta oração é "o candidato" e não "eu", a forma correcta do verbo é passou e não passei. É assim que muitos argumentam.

Não sendo usual o emprego do superlativo absoluto sintético no adjectivo simplório, pode seguir a regra comum, ou seja, simploríssimo.

A frase apresentada está correcta, porque a expressão «antes pelo contrário» usa-se frequentemente. Mas podemos substituir o advérbio antes por um dos seguintes significados: em realidade, realmente, em vez disso, etc. Mas temos de pronunciar cada um destes significados depois da expressão pelo contrário, e não antes, para que a frase fique bem construída: «Este tecido não é branco, pelo contrário, realmente é preto.»

Embora não seja usual, podemos ter aumentativo de máquina acrescentando-lhe o sufixo mais adequado (-ona): maquinona.
Por exemplo: «Aquilo é que era uma maquinona!...»
Sobre a extrema maleabilidade da língua portuguesa para os aumentativos, veja a nossa resposta anterior Mesona/lençolão.

No que respeita a reaccionário, não me parece que seja verdade que «todos pensem que significa uma coisa, mas afinal quer dizer precisamente o contrário».
As pessoas cultas não pensam assim, porque sabem que os dicionários ensinam que o vocábulo reaccionário significa o seguinte:
a) É aquele que defende um sistema político contrário ao progresso ou à mudança social, resistindo às tendências revolucionárias.
b) É aquele que revela uma posição conservadora.
c) É o defensor de um sistema político contrário aos avanços e transformações sociais, resistindo às tendências revolucionárias.
d) É o indivíduo antiliberal.
É claro que há pessoas que pensam outra coisa acerca do que seja um reaccionário. E a que se deve isto? Deve-se à falta de cultura. É nesta falta que está a origem de se enganarem acerca do significado de reaccionário.