Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Dicionário de Falares dos Açores
Vocabulário Regional de Todas as Ilhas
J. M. Soares de Barcelos
Edições Almedina (Coimbra), 2008 1K   

É um valioso contributo para o estudo do português que se falou e em certos casos ainda se fala no arquipélago dos Açores este Dicionário de Falares dos Açores, Vocabulário Regional de Todas as Ilhas, da autoria de J. M. Soares de Barcelos (Edições Almedina, Coimbra). Mais do que um livro, trata-se de um glossário de termos portugueses antigos usados nas nove ilhas, todas com as suas características próprias e diferenças nos seus hábitos e costumes.

O «tesouro linguístico» a que se refere o autor terá sido transportado pelos marinheiros das naus que descobriram o arquipélago no século XV. A adaptação da sua cultura às características do arquipélago resultou na açorianidade de que falou Vitorino Nemésio e traduziu-se numa linguagem de grande criatividade e riqueza lexical.

João Barcelos entregou-se a uma recolha profunda do vocabulário utilizado em todas as ilhas açorianas às quais juntou citações de obras de escritores  conhecidos com as quais chama a atenção. Em notas de rodapé, as citações fundamentam e contextualizam as expressões e os termos referidos, muitos dos quais apenas os naturais dos Açores e, às vezes, apenas de uma determinada ilha entendem.

Quem sabe, por exemplo, que cagarro é a alcunha que se dá ao natural de Santa Maria (devido à grande quantidade de cagarras que lá habitam)? Ou que «jogar à ferraxaneta» é «jogar às escondidas»? Que piteiro é aquele que bebe muito? E que quartada é um rabo grande?

Com mais de 600 páginas, esta obra traduz o pensamento de Paiva Boléo, citado nas primeiras páginas: «As ilhas são como que um acumulador onde se concentram, juntamente com a linguagem, as energias físicas e espirituais da raça [humana]». De consulta obrigatória para quem quiser aprofundar o seu conhecimento sobre a cultura dos Açores.