Ensinar/aprender português com base na literatura - Ensino - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Ensino Artigo
Ensinar/aprender português com base na literatura
Ensinar/aprender português com base na literatura
A multifuncionalidade da língua, conciliando o prazer da leitura

«Saber ler é, hoje e sempre, mais do que uma condição de sucesso pessoal, escolar, profissional e social. É o fator de sucesso coletivo de uma nação.»

 

O texto literário é o instrumento essencial no ensino/aprendizagem da língua portuguesa, inserido num programa educativo que valorize a interpretação, a capacidade imaginativa e o poder de análise.

O professor tem, de facto, ao seu dispor um leque de opções literárias com diferentes temas, tipologias textuais, e que deverá selecionar tendo em conta o nível etário e escolar dos seus alunos. Na verdade, este aspeto é fundamental para a formação de leitores que poderão vir a gostar de ler ao longo da vida.

Indubitavelmente, o texto literário projeta ao máximo a multifuncionalidade da língua, conciliando o prazer da leitura ao desenvolvimento da compreensão/expressão escrita. Essa leitura deverá ser atenta, reflexiva, capaz de esmiuçar sentidos, de ensinar a descobrir as potencialidades do português. Assim, espera-se de quem ensina que seja capaz de conduzir os alunos nesse processo de descoberta, que vai da palavra à frase e da frase ao texto, abrindo trajetos, navegando pelas linhas que desenham o texto escrito. E, da parte de quem quer aprender a gostar de ler, que se interesse, que se deixe surpreender pelas escolhas efetuadas. Em sintonia, professor e alunos poderão traçar o sucesso da aprendizagem da leitura, que será tanto mais rica, quanto mais sentidos oferecer para desvendar, quanto mais vontade de folhear páginas despertar, transformando o livro no veículo fundamental do conhecimento do mundo.

Saber ler é, hoje e sempre, mais do que uma condição de sucesso pessoal, escolar, profissional e social. É o fator de sucesso coletivo de uma nação. Por isso, o direito à leitura tornou-se uma questão de justiça social, o que implica que uma das grandes prioridades de qualquer sistema educativo seja o desenvolvimento da competência de leitura para todos os alunos.

Saber ler e gostar de ler são os passos para o desenvolvimento. E quanto mais se gostar de ler, mais se lê e se sabe fazê-lo. Porém, só quem sabe ler, gosta de ler. Para isso a literatura é a mais do que a melhor opção. A literatura é a solução.

Sobre a autora

Professora de Português e Francês no ensino secundário, na Escola Secundária Inês de Castro (Vila Nova de Gaia). Licenciada em 1992 pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tem mais de trinta livros (escolares, romances e infantis) publicados, entre os quais se contam Português atual, Manual do Bom Português Atual, Língua Portuguesa e Matemática, bem como edições escolares do Auto da Barca do Inferno e de Os Lusíadas. Formadora na área de Língua Portuguesa, em centros de formação para professores, em colégios privados, na Universidade Católica, na  Sonae, no Jornal de Notícias, no Porto Canal; a convite do Instituto Politécnico de Macau, em 2014, deu também formação a professores universitários chineses. Desde 2012, mantém uma crónica semanal no Jornal de Notícias, intitulada "Português Atual". Foi responsável por uma rubrica diária sobre língua portuguesa no Porto Canal. Elaborou um contributo para o grupo de trabalho parlamentar para avaliação do impacto da aplicação do Acordo Ortográfico de 1990. Em 2018, foi-lhe atribuída a medalha de mérito cultural pela Câmara Municipal de Gaia.