A evolução de plafom, o cinema no Cuidado com a Língua!, a invasão linguística da Web Summit e os alertas de Jorge de Sena - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Início Aberturas Abertura
A evolução de plafom, o cinema no Cuidado com a Língua!, a invasão linguística da Web Summit e os alertas de Jorge de Sena
A evolução de plafom, o cinema no Cuidado com a Língua!,
a invasão linguística da Web Summit e os alertas de Jorge de Sena
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 181

1. A palavra plafom entrou no português a partir do estrangeirismo plafond e as sucessivas adaptações que a palavra sofreu ocorreram não só no plano ortográfico como também no plano semântico, como se explica na resposta «O uso e o significado do galicismo plafond», que integra a nova atualização do Consultório. Aqui encontramos ainda questões relacionadas com a concordância com a expressão «nem um nem outro», com a correção da preposição a usar com a palavra espelho (ao ou no?) e com o plural da expressão «nota de assentos». Por fim, uma explicação sobre a construção da indefinição em português, a partir da identificação da diferença entre «comprei livros, uns livros e alguns livros». 

2. O cinema é o tema central do 25.º episódio da 10.ª série do magazine Cuidado com a Língua!, onde pela mão do jornalista Mário Augusto se fará uma incursão no mundo das palavras da sétima arte, passando pelo ecrã, pela tela ou pela fita, ao mesmo tempo que se percorrem alguns espaços da Cinemateca de Lisboa (notícia aqui). 

3. Lisboa vai ser palco, pela quarta vez, da Web Summit, um evento que decorre entre 4 e 7 de novembro e que conta com mais de 70000 participantes, cerca de 2159 startups e com a presença de oradores influentes, como Brad Smith, presidente da Microsoft, Guo Ping, presidente da Huawei, ou Tony Blair, antigo primeiro-ministro britânico (ver notícias). No plano linguístico, esta cimeira (opção portuguesa para a palavra summit) trará consigo, mais uma vez, uma invasão linguística de anglicismos, que ocupará o espaço mediático e, claro, o da cimeira. Veja-se, a título ilustrativo, o título do artigo do jornal Público: «A Web Summit no país das startups». Este momento seria o ideal para a comunicação social promover o uso de palavras ou expressões portuguesas em substituição das inglesas: diretor executivo em lugar de CEOpresidente  em vez de chairman, «empresa emergente» a substituir startupaplicação em vez de app, entre muitos outros casos. 

Relativamente à questão do nome do próprio evento, recordemos a resposta «Web Summit, star-up e feature: como usar em português?» e ainda questões em torno de palavras que incorporam o termo "web", como "webgrafiaou "webliografia": «O neologismo "webliografia"» e «A palavra "webgrafia"». 

4. O crescente domínio da língua inglesa foi também um assunto que preocupou o poeta, crítico, ensaísta, ficcionista, dramaturgo, tradutor e professor universitário português, naturalizado brasileiro em 1963 Jorge de Sena, que o abordou num dos seus poemas intitulado "Noções de Linguística". Recordamos hoje este escritor que amava a língua portuguesa pelos cem anos do seu nascimento (comemorados a 2 de novembro), data que motiva diversos eventos tanto em Portugal como no Brasil*.

* Ver a série de trabalhos do jornal  Público em evocação do centenário de Jorge Sena, intitulada O Século de um Intelectual Indispensável + Jorge de Sena: o gigante indigesto da cultura portuguesa Jorge de Sena, antologista + Jorge de Sena e o Brasil O exílio na poesia de Jorge de Sena +  A política em SenaE, ainda. Jorge de Sena, António Ramalho Eanes: cultura, educação e uma homenagem Portugal, realidades e percepções: magnífica lição de Jorge de Sena

(Imagem: Jorge de Sena por Victor Couto)

5. A partir de janeiro de 2020, a Holanda vai passar a conhecer-se por outro nome – lembra o professor universitário e tradutor Marco Neves, em artigo publicado no seu blogue Certas Palavras. Uma reflexão  sobre as designações curtas e longas associadas a diferentes países e a força dos usos, que nem sempre respeitam as vontades políticas.

6. O português como língua segunda estará em destaque em Cabo Verde, de 7 a 9 de novembro, no âmbito das «V Jornadas de Língua Portuguesa: investigação e ensino», que terão como tema central «A aprendizagem da oralidade na aula de português como língua segunda: compreensão, expressão e interação», um encontro organizado pela Cátedra Eugénio Tavares de Língua Portuguesa (programa).