As quilométricas palavras do alemão - Diversidades - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Outros Diversidades Artigo
As quilométricas palavras do alemão
As quilométricas palavras do alemão
Quando confrontadas com as portuguesas

« (...) Ao mesmo tempo que confere ao idioma um caráter extremamente sintético, esse mecanismo gramatical gera palavras quilométricas [no alemão]. (...)»

 

Como muitos sabem, o alemão tem uma incrível flexibilidade morfológica, que permite a criação de novas palavras pela simples junção de outras já existentes. Há até casos anedóticos como o de Hottentotterstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentater (assassino da mãe do garoto hotentote surdo-mudo, preso na jaula de cangurus coberta com tela).

Exageros à parte, ao mesmo tempo que confere ao idioma um caráter extremamente sintético, esse mecanismo gramatical gera palavras quilométricas. Além disso, povoa a língua de neologismos, alguns bem efêmeros (por exemplo, se eu quiser dizer «erro de endereçamento postal» em alemão, direi Postadressierungsfehler; «viagem de estudo de línguas» é Sprachstudienreise; e assim por diante).

Aliás, alguns anos atrás o alemão “perdeu” sua palavra mais longa. E tudo por uma alteração na lei sanitária da União Europeia. O termo Rindfleischetikettierungsüberwachungsaufgabenübertragungsgesetz (lei que delega monitoramento de rotulação de carne),  criado no âmbito do combate à doença da vaca louca, foi abolido após mudança na regulamentação, que isenta o gado de corte saudável de passar por testes.

Reza a lenda que um alemão foi ao correio passar um telegrama, e sua mensagem continha o termo Regenfallverspätung (atraso devido à chuva). Como o correio cobra os telegramas pelo número de palavras, o funcionário calculou o preço da mensagem considerando a sequência gráfica como três palavras: Regen (chuva) Fall (queda) e Verspätung (atraso). O cliente, por sua vez, argumentou que Regenfall é palavra composta, portanto só aceitaria pagar por duas palavras. Como não chegassem a um acordo, o caso foi parar no tribunal do distrito, cujo juiz deu a sentença: Regenfallverspätung é uma palavra só. O funcionário do correio, querendo lucrar com as esquisitices da gramática alemã, ficou no prejuízo; o cliente acabou tendo um lucro inesperado. E a conclusão que se tira desse episódio? Na Alemanha, a justiça é tão rápida e eficiente que até o preço de telegrama vira demanda judicial.

Fonte

Texto do autorpublicado no seu blogue Diário de um Linguista, com a data de  19 de fevereiro de 2019.

Sobre o autor

Linguista brasileiro, é doutor em Linguística pela USP, pós-doutorado pela UERJ, pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa da USP e autor de Léxico e Ideologia na Europa Ocidental e Anatomia da Cultura . Faz ainda parte dos grupos de pesquisa Semiótica, Leitura e Produção de Textos (SELEPROT) e Morfologia Histórica do Português (GMHP), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Também é poeta e tradutor (ver sítio pessoal e blogue associado à revista brasileira Língua Portuguesa).