Sobre a aldeia de Alvarelhos (Portugal) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre a aldeia de Alvarelhos (Portugal)

Estou a fazer uma pesquisa, para o mestrado sobre a aldeia de Alvarelhos, incidindo na estação arqueológica aí existente. Gostava de começar o meu trabalho invocando o significado etimológico desta palavra. Já consultei a 2.ª edição do vosso dicionário, mas o que encontrei foi «Alvarelhão, s. tipo de vinho tinto. De Alvarelhos, top.» Posso acrescentar ainda que tenho informações que o topónimo "Alvarelhos" é invocado nos documentos medievais da época de (séc. X) S. Rosendo (arquivos Beneditinos) e nas segundas Inquisições Gerais de D. Dinis de 1290, figurando já como unidade regional bem definida, no foral de D. Manuel I em 1519 à Vila da Maia. Deste modo, solicitava vossa ajuda, se possível, para que possa enriquecer o meu trabalho de mestrado.

Angélica Costa Professora Trofa, Portugal 4K

Começo por esclarecer que não temos nenhum dicionário publicado e que o tipo de ajuda de que precisa requer mais investigação do que a que podemos dar-lhe aqui.

Seja como for, remeto-a para José Pedro Machado, que no Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa diz tratar-se de topónimo de Entre Douro-e-Minho (Santo Tirso), Trás-os-Montes (Valpaços) e Beira (Carregal do Sal, Tábua); também se encontra na Galiza. Existe uma ribeira com este nome, também chamada Ribeirinha. Atestado entre 907 e 1057 como Alvarelios e Alvarelius. Machado termina com uma hipótese: «Deve estar ligado a Álvaro.»

Contudo, A. de Almeida Fernandes refuta a opinião de Machado (Toponímia Portuguesa, Arouca, Associação de Defesa Arouquense, 1999, pág. 40):

«Não se entende tal ligação, pelo próprio sufixo, -elhos; de mais a mais, no plural: que poderia, de facto, significar, com toda esa vulgaridade toponimicamente expressa? O que temos é «alvar» + elho (<-iculu-), no plural, reflectindo um antigo vocábulo, *alvarelho, relativo àquela espécie de carvalho.»

Alvarelhos liga-se ainda ao topónimo Alvarede, que  Machado também deriva de Álvaro, mas Almeida Fernandes rebate tal sugestão (idem):

«O que se tem em Alvaredo é o derivado em -edo < -etu de «alvar», relativo ao carvalho: este produziu topónimos como Alvares, Alvarenga, Alvarinho, etc; e o sufixo -edo é «botânico» por excelência, sendo aquela espécie vegetal a caracterizadora de região fitoclimática na metade norte do País.»

Recorde-se que a quercus robur é também conhecida em Portugal como carvalho alvarinho. Este adjectivo deriva de alvar, por sua vez formado com base em alvo, «branco», do latim albus, a, um, «branco, claro, puro». Mas clara não é de certeza a evolução semântica de alvar, «de cor branca», a alvarinho, «espécie de carvalho».

 

Carlos Rocha
Áreas Linguísticas: Etimologia; Léxico