Morfema lexical/radical - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Morfema lexical/radical

Na p. 78 da Gramática do Português Contemporâneo, de Cunha e Cintra (Estrutura das palavras.- Radical), leio: «Ao que chamámos até agora 'morfema lexical' dá-se tradicionalmente o nome de 'radical'.»

Acho eu, porém, que «radical» e «morfema lexical» são nomes cuja origem está em distintas tradições gramaticais e também nomes de unidades distintas:

Em «vou» e «ides» do verbo «ir» encontramos o mesmo morfema lexical (a ideia de movimento) mas o radical é distinto (lat. vado...; lat. eo...).

Estou errado?

Santiago Maspoch-Bueno Professor de Espanhol Paris, França 12K

Em «vou» e «ides», não encontramos o mesmo morfema lexical, porque a «ideia», neste caso a ideia de movimento, não se relaciona com o léxico, porque não é palavra nem elemento de palavra; relaciona-se com a semântica, porque diz respeito ao significado.

Segundo o que diz a referida gramática, parece que podemos raciocinar assim:

O morfema é o elemento significativo mais pequeno que podemos individualizar num enunciado. Suponhamos as palavras amor, amores, amorável, amorzinho, amoroso, etc. Em amores, o elemento mais pequeno que indica número é (e)s. Em amoroso, o elemento mais pequeno que indica qualidade é -oso. E o elemento mais pequeno de todas estas palavras indicativo daquele sentimento que todos conhecemos é amor. Este é o radical de todas estas palavras, chamado assim em vez de morfema lexical.

Note-se que radical não é o mesmo que raiz. A raiz de todas estas palavras é am-.

José Neves Henriques