Infinitivo flexionado depois de adjectivo (susceptível e capaz) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Infinitivo flexionado depois de adjectivo (susceptível e capaz)

Tenho a seguinte dúvida. Deve dizer-se «factos susceptíveis de constituir justa causa de despedimento», ou «factos susceptíveis de constituírem justa causa de despedimento»? De igual modo, «substâncias capazes de prejudicar a saúde», ou «substâncias capazes de prejudicarem a saúde»?

Muito obrigado.

João Silva Engenheiro civil Lisboa, Portugal 6K

Utiliza-se a forma não flexionada quando o infinitivo, «precedido da preposição de, serve de complemento nominal a adjectivos como fácil, possível, bom, raro e outros semelhantes» (cf. Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra).

É o caso dos exemplos apresentados pelo consulente, nos quais surgem os adjectivos capaz e susceptível, qualquer deles seguido da preposição de, que levam ao uso do infinitivo impessoal ou não flexionado:

«factos susceptíveis de constituir justa causa de despedimento»;

«substâncias capazes de prejudicar a saúde».

Note-se que nestas frases está omisso o verbo ser:

«(os) factos (são) susceptíveis de constituir justa causa de despedimento»;

«(as) substâncias (são) capazes de prejudicar a saúde».

Se substituirmos o sujeito da frase por um pronome pessoal, verificamos que a construção com o infinitivo não flexionado é a mais apropriada:

«Eles são susceptíveis de constituir justa causa…», «Nós somos susceptíveis de constituir…», «Elas são capazes de prejudicar a saúde», «Nós somos capazes de prejudicar…»

Construções como *«Nós somos susceptíveis de constituirmos…», *«Nós somos capazes de prejudicarmos…» tornam-se inaceitáveis.

Maria João Matos
Tema: Uso e norma
Campos Linguísticos: Concordância; Orações