Haverá sinonímia perfeita entre as locuções temporais? - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Haverá sinonímia perfeita entre as locuções temporais?

Segundo Ferrarezi Junior (2008, p. 157)*, «Nenhuma língua utiliza duas palavras ou expressões para dizer a mesmíssima coisa. [...] Por menor que seja a mudança, ela sempre ocorre quando trocamos uma palavra ou expressão por outra.» Partindo desse pressuposto, comecei a pensar sobre a existência ou não de sinonímia perfeita entre as locuções conjuntivas. Nas sentenças a seguir, por exemplo, todas as conjunções passam uma ideia de tempo; porém, parece-me que existe uma gradação de tempestividade (quão rápida a ação irá ocorrer).

O contexto é o seguinte: ao ser questionado sobre a data em que o edital de um concurso seria publicado, o governador afirmou: [1] «Quando tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.» [2] «Logo que tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.» [3] «Tão logo tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.» [4] «Assim que tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.» Essa hipótese está correta? Existiria uma gradação entre essas conjunções e locuções conjuntivas (não necessariamente nessa ordem)?

* Ferrarezi Junior, C. Semântica para a Educação Básica. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

Misael Abreu Estudante Simão Dias (Sergipe), Brasil 145

    Não se trata de uma questão de correção, pois estamos a falar de semântica e de particularidades interpretativas, obrigatoriamente subjetivas. Partindo dessa perspectiva, o assunto que trouxe à discussão pode ter várias interpretações.

     No entanto, estamos de acordo com a citação inicial de Ferrarezi Junior, pois não existe sinonímia perfeita, encerrando sempre cada palavra uma potencialidade que a outra não tem.

     Assim, nas frases que citou, com as conjunções/locuções temporais, conseguimos distinguir momentos diferentes, uns mais próximos, outros mais afastados, estabelecendo um processo gradativo evidente.

      Do momento mais imediato ao mais afastado, poderemos listar as frases deste modo:

1. «Tão logo tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.»

2. «Logo que tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.»

3.  «Assim que tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.»

4.  «Quando tivermos a data correta, divulgaremos nos meios de comunicação.» 

      Conseguimos ver um momento de urgência, de rapidez em tão logo, diferente de quando, que encerra um momento mais alargado no tempo. As 2 e 3 são quase idênticas, um momento fugaz as separa, mas conseguem, ainda assim, uma subtileza que as distingue.

     Tratando-se de semântica, haverá diferentes interpretações para a mesma realidade. O que nos parece que haverá é a unanimidade no entendimento de que há matizes diferentes nestas ou noutras locuções, aludindo à citação inicial da pergunta.

Maria Eugénia Alves
Classe de Palavras: conjunção
Áreas Linguísticas: Semântica