Concordância verbal - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Concordância verbal

Existe uma regra de concordância que diz que, quando o sujeito é formado por infinitivos, o verbo deve concordar no singular. Há exceções, mas não vêm ao caso. Por exemplo: «Nadar e correr faz bem à saúde»; «amar e sofrer é parte da condição humana». Vejam-se agora as seguintes frases: «Escrever e pintar tornou-se uma grande obsessão em sua vida»; «Ser e agir torna-se (tornam-se) um, quando nossa vida e nosso ser são um testemunho da verdade». É interessante verificar que estruturalmente as orações são idênticas, exigindo-se a concordância no singular, segundo a regra referida; entretanto, a segunda oração, pela lógica, requer o verbo no plural, pois algo não pode tornar-se um, sem anteriormente ter sido "mais de um". Como se deve então fazer a concordância: pela gramática ou pela lógica da frase?

Fernando Bueno Brasil 4K

Na última frase é preferível o verbo no plural, dado que vem a seguir a palavra um. De contrário, ao usar ser e agir como uma unidade, o uso de um a esta referido seria pelo menos pleonástico.

F. V. Peixoto da Fonseca