Advérbios de lugar associados a expressões locativas plenas - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Advérbios de lugar associados a expressões locativas plenas

No exemplo «Eu fui lá, à praia», estamos perante um complemento oblíquo («lá, à praia»), ou dois complementos ligados por uma vírgula?

Sara Costa Professora de Inglês Lisboa, Portugal 7K

No caso em apreço, a vírgula indica que a presença de dois complementos oblíquos, sendo o segundo um aposto – menos convencional, é certo, porque o aposto é considerado como constituinte dentro de um grupo nominal. Se a vírgula for retirada («lá à praia»), deve considerar-se um único grupo sintático, resultante da combinatória de um advérbio de lugar (dêitico) –  – com uma expressão locativa plena – «à praia».

Gramática do Português (2013, pág. 1621), da Fundação Calouste Gulbenkian, refere-se a casos semelhantes aos de «eu fui lá, à praia» do seguinte modo:

«Dada a imprecisão dimensional do espaço referido pelos advérbios de lugar dêiticos [...], estes ocorrem frequentemente em combinação com expressões locativas plenas – em geral sintagmas preposicionais – que tornam mais precisa a sua referência, como se ilustra nos seguintes exemplos:

(82) a. O livro está aqui {ao meu lado/à minha frente}.
         b. Vou aí ao teu escritório.
         c. Comprei esse presunto ali naquela mercearia.
         d. Encontramo-nos cá em casa ou lá na faculdade.

Em exemplos deste tipo, o advérbio e o sintagma que o segue estão incluídos no mesmo constituinte sintático e definem um só grupo prosódico; ou seja, na oralidade não tem necessariamente de existir uma pausa entre o advérbio e o sintagma seguinte. Essa pausa, no entanto, pode existir; cf., por exemplo, relativamente a (82b), «vou aí, ao teu escritório» (com a pausa assinalada através da vírgula). Neste caso, o sintagma que segue o advérbio tem o estatuto de um aposto, formando um grupo prosódico autónomo. Semanticamente, é subtil (se não mesmo nula) a diferença entre os exemplos de (82) e os correspondentes com pausa. Poder-se-ia talvez dizer que, no primeiro caso, a informação veiculada pelo sintagma é sentida como uma especificação do advérbio, ao passo que no segundo caso é sentida como um comentário sobre o advérbio.»

Carlos Rocha
Classe de Palavras: verbo