José Mário Costa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
José Mário Costa
José Mário Costa
45K

Jornalista português, cofundador (com João Carreira Bom) e responsável editorial do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Autor do programa televisivo Cuidado com a Língua!, cuja primeira série se encontra recolhida em livro, em colaboração com a professora Maria Regina Rocha. Ver mais aqui.

 
Textos publicados pelo autor
Uma Loja Verde só para anglófonos?

Loja Verde Official Store, na baixa lisboeta... só falta mesmo mudarem o nome do clube, português, para inglês...

Como já se esclareceu em anteriores respostas – por exemplo, nesta, e nas que se assinalam nos Textos Relacionados, ao lado –, o tipo de aspas que se usam é uma questão opcional e meramente de estilo. 

Na imprensa, antes da generalização da informatização, ainda no tempo composição de chumbo, as citações eram com as chamadas aspas caídas [«»]1 – como se emprega de resto, ainda, na edição dos livros. Mas já não nos jornais ou nas legendas televisivas e do cinema em que  o uso corrente são as chamadas aspas levantadas [" "]2

A opção pelo tipo específico de aspas estende-se obviamente para as demais situações de escrita  – as transcrições intercalares, as frases ou expressões que se  pretendem realçar,  os neologismos, os arcaísmos, as gírias ou expressões populares, os estrangeirismos e os títulos  de obras variadas, etc., etc.  –, impondo-se para isso apenas que elas sejam distintas entre si e utilizadas de forma uniforme. É por isso que, para tal, é tão importante a existência de livros de estilo e de manuais de redação, com normas também nesta área concreta.

Desmerecimento(s) para com o seu próprio idioma

Se nas salas de cinema portuguesas o título foi sempre traduzido, qual a razão de se manter o origina Star Wars40 anos passados da estreia do primeiro  dos oito filmes da saga criada pelo realizador George Lucas? Tal como já tinha acontecido com o filme Dunkirk...

Articulista* é toda e qualquer pessoa que escreve regularmente artigos de opinião em jornais ou revistas. Por regra, são colaboradores externos, não jornalistas. Como autor do(s) texto(s) publicado(s) também pode ser identificado como tal.

Um repórter é um jornalista que faz reportagens em qualquer órgão de informação (em suporte impresso, digital ou audiovisual). Vem a propósito lembrar os géneros jornalísticos** da imprensa: informação (notícias, reportagens, entrevistas) e opinião (artigos sobre qualquer tema, quase sempre por convidados ou colaboradores externos da Redação, editoriais, crónicas, análises, etc.)

 

* Cf. A função do articulista

** Cf. Os gêneros jornalísticos e as várias faces da notíciaGêneros e formatos jornalísticos: um modelo classificatório

A resposta a uma pergunta semelhante já foi dada aqui.

Segundo o Dicionário Terminológico, o predicado é a função sintática desempenhada pelo grupo verbal – que supomos que seja o que significa a sua expressão "locução verbal" –, sendo o complemento direto selecionado pelo verbo e uma das funções sintáticas internas ao grupo referido. 

Na sua frase «Eles estão procurando emprego.», a palavra emprego desempenha, de facto, a função sintática de complemento direto, visto que o verbo procurar se classifica como transitivo direto*. 

*in Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa