José Mário Costa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
José Mário Costa
José Mário Costa
30K

Jornalista português, cofundador (com João Carreira Bom) e responsável editorial do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Autor do programa televisivo Cuidado com a Língua!, cuja primeira série se encontra recolhida em livro, em colaboração com a professora Maria Regina Rocha. Ver mais aqui.

 
Textos publicados pelo autor

Depois das catástrofes humanitárias, dos desastres humanitários das tragédias humanitáriassó nos faltava mesmo o crime humanitário!...

Excelente a lei. O pior é a sua (não) aplicação
Um caso, entre tantos, da subalternização comercial do português

Nove línguas –  até em polaco e russo! – ... menos em português num manual de instruções de um amplificador de rádio, comercializado em Portugal?!

 Malvado vírus!...
... que nem a distância recomendada lhe escapou.

Até com a cedilha e o acento circunflexo há que respeitar a distância q.b. à covid-19!...


As voltas trocadas do «mais bem» e do «melhor»
Comparativos de bem e de bom

Desencontros recorrentes na televisão portuguesa com o emprego do melhor (comparativo de bom) e do  mais bem (comparativo de bem). 

 

Há um equívoco na primeira parte da pergunta, que importa desfazer desde já: a pronúncia recomendada do apelido Félix não é "Félicse" – mas, sim, [ˈfɛliʃ], com a sílaba final dita como a palavra lápis. É assim que registam todas a obras de referência – caso, entre outros, do  Vocabulário da Lingua Portuguesa de Rebelo Gonçalves (edição  de 1966)  – pelas razões  já  aqui transcritas, conforme o esclarecimento da professora  Maria Regina Rocha no livro sobre a 1.ª série do programa Cuidado com a Língua! 1 :

«A sílaba final do apelido Félix pronuncia-se como a sílaba final da palavra lápis.(...)

«Os nomes portugueses terminados em x vieram directamente do nominativo latino (e não do acusativo, como é a regra geral) e mantêm em geral em português a pronúncia latina /ks/ (Fénix, ónix, tórax, clímax, córtex, Ajax, etc.), pois entraram tardiamente no português (no século XVI ou seguintes), importados directamente do latim, sem evolução.

«As excepções são cóccix (/cóccis/), por questões de eufonia, e o antigo cálix (/cális/), do...