A. Tavares Louro - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A. Tavares Louro
A. Tavares Louro
4K

A. Tavares Louro é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas — Estudos Portugueses e Franceses pela Faculdade de Letras de Lisboa. Professor de Português.

 
Textos publicados pelo autor

Em relação à numismática e à história económica, poderemos continuar a usar a palavra réis.

Na linguagem corrente, a palavra réis deixou de ser frequente, embora tenha persistido durante muito tempo em que a moeda legal portuguesa era o escudo. Do mesmo modo, ainda falamos de escudos quando a moeda oficial já é o euro.

Como substantivos comuns, os nomes das moedas devem ser grafados com minúscula inicial.

O apelido/sobrenome Benício é a adaptação à língua portuguesa do apelido/sobrenome do santo italiano Filipe Benizi, que viveu de 1233 a 1285.

O apelido/sobrenome Santos, antecedido da preposição de, pode provir de crianças nascidas no Dia de Todos os Santos, visto que era frequente naqueles que nasciam no dia 1 de Novembro.

Este apelido/sobrenome também era usado pelos afilhados de pessoas que usavam Santos como segundo nome ou apelido/sobrenome.

O superlativo absoluto sintético do adjectivo incrédulo é incredulíssimo.

Adianto é um vocábulo que se usa em relação à informática e à botânica no que respeita ao desenvolvimento das plantas.

Em relação aos transportes, são usados os termos atraso, avanço e adiantamento, especialmente em transportes com horários flexíveis.