Ainda o modismo «É suposto...» - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
Ainda o modismo «É suposto...»
Ainda o modismo «É suposto...»

Frase do jornalista e crítico de televisão, Miguel Gaspar, indagado no programa "A Voz do Cidadão" na RTP-1, no passado dia 21 de Outubro:

«[O programa "Prós e Contras"], em princípio, é suposto apresentar dois pontos de vista; portanto, os painéis são representativos de posições diferentes».

Está a ser bastante utilizada a construção "é suposto" + infinitivo. Trata-se de um modismo, uma adopção do inglês, que deverá ser evitada, pois colide com a nossa construção sintáctica. Efectivamente, não se deverá dizer que «o programa é suposto apresentar», porque «o programa» não é o sujeito; o sujeito aqui é indeterminado: «(...) pressupõe-se que o programa apresente dois pontos de vista».

Em português, poderá, assim, dizer-se – em vez de “é suposto” – «pressupõe-se que»; «espera-se que»; «é desejável que»; «pensa-se que»; «considera-se que»; «tem-se como princípio que»...

Sobre a autora