Uma língua nacional africana - Lusofonias - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Lusofonias Artigo
Uma língua nacional africana
Uma língua nacional africana

 

O Presidente Armando Guebuza disse não gostar que o seu país seja apresentado como de «expressão portuguesa». A fórmula geral é, de facto, ambígua. Moçambique é moçambicano. Mas dito como língua usada há que reconhecer que o português é cimento da nacionalidade moçambicana. A Constituição de Moçambique só o reconhece como "língua oficial", qualquer coisa como um tem que ser. Línguas nacionais são o shona, o macua, o maconde. A história recente do país diz outra coisa. A longa guerra civil que a Frelimo e a Renamo travaram foi acabada à mesa das negociações, porque a falar é que a gente se entende. E em que língua foi conseguido esse momento marcante do destino moçambicano? Pois é, a língua portuguesa foi a dos colonizadores portugueses, das tropas de segunda linha angolanas, dos médicos goeses  — tudo o que fez o Moçambique do passado. Mas foi também com ela que já se conseguiu o Moçambique de hoje. As línguas nacionais, como as nações, vão-se fazendo.

 

Fonte

in “Diário de Notícias” de 26 de Março de 2008

Sobre o autor

Ferreira Fernandes (Luanda, 1948) é um jornalista português, tendo colaborado com o Público, o Diário Popular, a Visão e a Sábado, entre outras publicações. Recebeu diversos prémios de reportagem, entre os quais o prémio Bordalo – Jornalista do Ano (Casa da Imprensa) e o prémio Jornalista do Ano (Clube de Jornalistas do Porto). Assina atualmente uma crónica no Diário de Notícias.