Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
O Ciberdúvidas e o Acordo Ortográfico
O Ciberdúvidas e o Acordo Ortográfico
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 618

Ficam em linha sete respostas sobre a construção e a análise do discurso, a sintaxe e o léxico, temas reveladores das preocupações linguísticas com que os falantes se debatem.

«A língua é um bem simbólico e parte do património imaterial de um povo certo de que a noção de bem se desdobra em dois sentidos: um sentido jurídico-económico (...) e um sentido ético-axiológico», escreve o professor Carlos Reis num texto colocado em O Nosso Idioma.

Na rubrica Acordo Ortográfico, deixamos dois novos textos ainda à volta do Acordo Ortográfico: um, de D´Silvas Filho, e outro, publicado no jornal Público.

Finalmente, e sobre a adoção pelo Ciberdúvidas das novas regras do português escrito, deixamos o seguinte esclarecimento, tendo em conta alguns reparos deixados ultimamente no Facebook:

1. Goste-se dele mais, menos ou nada, o Acordo Ortográfico passou a ser lei em Portugal e no Brasil.

2. No caso português, o Acordo Ortográfico passou a vigorar desde setembro de 2011 no ensino básico e secundário, depois da sua adoção, igualmente, em todos os departamentos e publicações do Estado.

3. O mesmo aconteceu, já, em praticamente todos meios de comunicação social do país, assim como na edição de livros, nas empresas de maior dimensão, como a Portugal Telecom, e num crescente número de autarquias.

4. Estando também ele plenamente já em vigor no segundo país com o maior número de acessos ao Ciberdúvidas, e sendo o maior dos países de língua oficial portuguesa, só uma posição de resistência gratuita poderia levar a ignorar as novas regras ortográficas.

5. Acresce a circunstância de grande parte das perguntas que nos vão chegando por esse mundo fora versarem precisamente o que mudou e não mudou na ortografia do idioma nacional.

6. Seguir o que manda a lei e dar todos os esclarecimentos e informação solicitados é, pois, e tão-só, cumprir o papel e a razão de ser do Ciberdúvidas: espaço privilegiado para todos os que querem saber mais sobre a língua portuguesa.

7. É isso que faz também o Ciberdúvidas no que diz respeito ao acordo que pôs fim ao dissídio das duas grafias oficiais para a língua comum dos oito países da CPLP: informar, esclarecer e propiciar o mais amplo debate. Sem tomar qualquer partido, pró ou contra, até por respeito pelas sensibilidades distintas dos seus inúmeros consulentes.

8. Nenhum outro sítio, via Internet e não só, acolheu, como o Ciberdúvidas, o confronto, em absoluto pé de igualdade, de todas as posições, pró, anti ou assim-assim sobre a presente reforma ortográfica. Basta aceder, e ler, à recolha acumulada de artigos da mais diversificada proveniência sobre a matéria, na rubrica Acordo Ortográfico, já lá vão 15 anos.

Cf. Acordo Ortográfico em vigor em Portugal desde 13 de maio de 2009 + O tratado internacional vinculativo do Acordo Ortográfico + Acordo Ortográfico nas escolas portuguesas em setembro de 2011 e três meses depois nos demais organismos do Estado + Acordo Ortográfico, «caminho sem retorno» + Novamente a posição do Ciberdúvidas quanto ao Acordo OrtográficoAinda o Ciberdúvidas e o Acordo Ortográfico