Vossa Excelência, novamente - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Vossa Excelência, novamente

Gostaria de ver esclarecido o uso de V. Ex.ª — quando se aplica abreviado e por extenso, como em Vossa Excelência.

Obrigada.

Helena Ramos Professora/ formadora Lisboa, Portugal 32K

O critério é o mesmo que o usado numa correspondência quando nos dirigimos em Portugal a um diplomado (para o qual, por exemplo, a carta de curso o autorize a usar o título de engenheiro). Se escrevermos o nome, poderemos grafar a abreviatura: «peço ao  Sr. Eng.o Ribeiro Costa que...» (maiúsculas nas abreviaturas); mas, se não escrevermos o nome do diplomado, será de bom-tom grafar por extenso: «peço ao senhor engenheiro que...» (minúsculas no extenso). O mesmo se passa no tratamento por excelência: «peço ao Exmo. Sr. Ribeiro Costa que...», «peço a Vossa Excelência que...» (maiúsculas também, tradicionalmente no extenso da excelência, quando o exige o protocolo).

NOTA: nas cartas comerciais, o V. Exa/s., quando ainda usado, é normalmente abreviado, pois não passa dum mero código e não dum tratamento de deferência. Modernamente, o código tende a simplificar-se por «a vossa empresa», «o/s senhor/es», etc.

Se algum dos nossos leitores puder ajudar melhor esta nossa companheira de estudo, agradecemos que nos escreva. Tenho notado que nas mensagens electrónicas (que estão a substituir as cartas formais), a liberdade é agora grande, com linguagem telegráfica, informal e muitas vezes sincopada.

Ao seu dispor,

D´Silvas Filho