Vagem = bagem = "bage" - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Vagem = bagem = "bage"

«Ela explicou-lhe, ao ouvido:

— Já, sim, filha, que tenho estado a abarrotar, comi umas bajes e tenho estado!... E aquele homem, aquele gelo! O Sr. Ernesto vem para os meus sítios, hem?

— Como um fuso, minha senhora!»

Eça de Queirós, O Primo Basílio (1878)

Junto envio breve citação da obra de Eça de Queirós que contem o vocábulo "baje". Após consultar vários dicionários da língua portuguesa, todos são omissos. Poderá ter acontecido algum erro tipográfico! Assim, venho por este meio solicitar a vossa imprescindível ajuda.

Obrigado.

António Cabral Reformado São Brás de Alportel, Portugal 9K

A forma-padrão geralmente dicionarizada é vagem, no sentido de «feijão-verde» (cf. Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa). Contudo, alguns dos dicionários consultados registam também bagem, vage (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa) e bage (idem; também como topónimo na Infopédia), todas variantes claramente populares, em especial as duas últimas, porque apresentam a redução de -gem a -ge, como acontece em muitos dialetos do português: "virge" (em vez de virgem), "image" (em vez de imagem), "portage" (em vez de portagem). Note-se que, na ortografia anterior à reforma ortográfica de 1911, se podia escrever "baje", com j. De todos os modos, o que importa frisar é que Eça de Queirós parece ter pretendido empregar "baje" – explorando o preconceito, é certo – no intuito de salientar as origens populares, a falta de refinamento e a pouca cultura da personagem de D. Felicidade, assim criando um efeito de cómico nessa cena de O Primo Basílio.

OBS. – Mesmo no contexto da normativização da língua portuguesa, houve quem registasse as variantes populares. O Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa de 1940 regista vage(m) com a variante bage(m), assim indicando a possibilidade de uso de vage e bage. Rebelo Gonçalves, no Vocabulário da Língua Portuguesa (1966), regista todas estas variantes e junta-lhes a forma vaja.

Carlos Rocha
Classe de Palavras: substantivo