Sobre a grafia (e a pronúncia) das formas ioga e yoga - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sobre a grafia (e a pronúncia) das formas ioga e yoga

O assunto acima referido já foi alvo de tratamento por V. Exas., mas entretanto entrou ou está a entrar em vigor o novo acordo ortográfico e por isso gostaria de relançar a questão: na versão europeia da nossa língua, devemos escrever ioga ou Yoga? Porquê?

No glossário das Ciberdúvidas, continua a classificar-se como erro a forma Yoga, estará esta posição actualizada?

Há quem me diga que ioga é um aportuguesamento de yoga (sânscrito) e não um equivalente em português e que como a letra y entrou para o nosso alfabeto e como tal não haveria razão para a exclusão da forma yoga. Por minha parte, tenho tendência para dizer: se há uma forma aportuguesada, usemo-la!

Agradeço desde já o parecer de V. Exas. sobre este assunto.

Oliveira Ramos Professor Aveiro, Portugal 9K

A palavra yoga (devendo ler-se ióga) encontra-se registada, por exemplo, na Infopédia, no Priberam e no Dicionário Actual da Língua Portuguesa (Edições ASA), como uma variante ortográfica do vocábulo ioga (podendo ler-se iôga ou ióga). Por outro lado, no Vocabulário Ortográfico do Português (VOP), disponível no Portal da Língua Portuguesa, e no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), da Porto Editora, yoga encontra-se descrito como um «estrangeirismo do sânscrito — forma adaptada: ioga». Deste modo, as duas formas são aceites no português europeu, encontrando-se ambas registadas, como podemos verificar, nos respectivos instrumentos linguísticos. Já as ferramentas linguísticas do português do Brasil consultadas (Dicionário Houaiss, Dicionário Aurélio, Aulete Digital e VOLP da Academia Brasileira de Letras) acolhem apenas o termo ioga.

No que diz respeito às coordenadas estipuladas pelo acordo ortográfico (AO) em vigor, valerá a pena referir que as novas letras incluídas no alfabeto (k, w y) apresentam uma utilização bastante restritiva, devendo ser usadas apenas em casos especiais, isto é, em antropónimos, topónimos e siglas estrangeiras, assim como nos respectivos derivados. Sendo que yoga não se enquadra em nenhum destes itens, dever-se-á optar por uma das soluções já referidas: ou a palavra é adaptada fónica e graficamente [= ioga (ô ou ó)], ou é usada em itálico ou entre aspas (Yoga ou «Yoga»), ainda que este último procedimento, apesar de geralmente aplicado, não se encontre estipulado em nenhum documento normativo.

Para concluir, e já que falamos em ioga, devo dizer que me encontro em total «sintonia mental» com o consulente, pois não vislumbro, neste caso concreto — apesar de ser legítimo fazê-lo, como vimos —, razões que justifiquem a opção pelo estrangeirismo yoga, tendo em conta que existe uma forma adaptada para a língua portuguesa, que em nada prejudica ou adultera o sentido do termo em análise.

N.E. – Como já foi respondido anteriormenteIoga é um palavra grave, portanto, com o acento tónico na penúltima sílaba:[ióga]. 

Pedro Mateus
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo
Campos Linguísticos: Transcrição Fonética