Polémicos rendível/rentável (1) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Polémicos rendível/rentável (1)

Volto à questão rendível/rentável, pois parece-me que J.N.H não compreendeu totalmente a minha ideia.

  1. Eu também acho que as regras dão beleza. O que acontece é que rendível vai contra a regra. A regra é que o que é "ível" indica a capacidade de ser "ido"...

  2. O povo foge da palavra rendível porque ela cria a uma pessoa normal um conflito conceptual: aí é que está o problema que os linguistas não querem ver. Claro que convencionalmente podemos aceitar tudo mas então caímos na arbitrariedade. Sempre haverá aspectos ilógicos e arbitrariedades numa língua. O problema é que não se está a deixar o povo corrigir de uma maneira sensata um problema existente.

  3. Sabemos perfeitamente que há palavras derivadas que perderam a raiz ou que foram importadas. Isto acontece no Português mas muito mais no Inglês. Outras vezes a palavra tem aspecto de derivada mas a raiz não existe. Se não queremos aceitar a palavra rentável de rentar, podemo-la ver sozinha coincidente com a derivada do verbo rentar.

  4. O caso de rendível é diferente: aqui há um conflito conceptual. As pessoas evitam essa palavra porque lhes soa mal, não por ignorância ou falta de formação mas por causa do poder conflitivo da palavra. O conflito consiste em que a palavra sugere poderosamente a capacidade de ser rendido mas significa por vezes a capacidade de render.

  5. Por exemplo, procurável indica a capacidade de ser procurado e procurador a capacidade (ou o facto) de procurar. Já imaginou se estas duas palavras tivessem a mesma forma? Não era isso empobrecedor e conflituoso? Quantas mais palavras em português têm o significado de capacidade de ser "feito" ao mesmo tempo que capacidade de "fazer"...

De qualquer maneira, muito agradeço os comentários feitos no Ciberdúvidas e parabéns pela iniciativa.

Paulo M. Sendim Aires Pereira Portugal 6K

Respondemos a cada uma das alíneas da réplica do estimado consulente Paulo M. Sendim Aires Pereira. Por razões técnicas esta resposta dividir-se-á em duas partes:

  1. Rendível não vai contra a regra. É palavra correctíssimamente formada: de render + sufixo -ível, que significa possibilidade de praticar ou sofrer uma acção; susceptível de; atributo; qualidade de. Ocorre, geralmente em adjectivos derivados de verbos da 2ª e da 3ª conjugação, como vender, vendível; fundo, fundível; render, rendível; unir, unível. Consulte-se, por ex., a obra "Dicionário de Afixos e Desinências" de Carlos Góis. O prefixo-ível não significa, pois, capacidade, mas sim possibilidade, etc., que pode ser ou não uma capacidade. Capacidade e qualidade não são sinónimos perfeitos, embora não muito distantes.

  2. A palavra rendível não "cria a uma pessoa normal conflito conceptual". Antes pelo contrário: relaciona-a, imediatamente com o verbo render, dar lucro, ser produtivo. Rentar é que "cria conflito conceptual", porque ninguém conhece palavra com a raiz rent- com a ideia de lucro, produção. Essa ideia tem-na a raiz rend-, e não rent-, como todos vêem: é intuitivo. Em rendível, não há nada de ilógico, mas sim de lógico. Não há nada que faça cair no arbitrário, mas naquilo que é, e assim tem de ser. Nada há que leve o povo a não corrigir, porque ele é levado racionalmente, a aceitar.
    No que toca à linguagem, o povo aceita o que é intuitivo. É o caso de rendível derivado de render, e não de rentável.

José Neves Henriques