Conceitual e conceptual - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Conceitual e conceptual

Gostaria que me esclarecesse esta dúvida: a palavra certa é conceitual, ou conceptual? Existem as duas? Será que muda o sentido?

Mas vem de conceito, não é, e não de "concepto"?

Tenho a impressão de que os brasileiros só usam a palavra conceitual, mas queria saber qual é a regra na língua portuguesa agora com o acordo ortográfico.

Agradeço-lhe desde já.

Sarah Dias Assessora cientifica Lisboa, Portugal 14K

As palavras conceitual e conceptual são consideradas sinónimos, encontrando-se ambas registadas, por exemplo, na Infopédia, ou no Dicionário Eletrônico Houaiss 2009. Porém, há que valorizar o facto de, neste último, na entrada referente ao termo conceitual, para além da definição «relativo a, formado por ou que consiste em conceitos» — 100% compatível, portanto, com a definição de conceptual —, surgir uma outra, isto é, «em que há conceito (dito engenhoso); espirituoso, conceituoso», considerada diacronismo antigo.

Quanto à sua etimologia, têm os dois termos origem no latim, sendo que conceitual deriva de «conceito sob a forma conceitu- (com -u do tema da 4.ª declinação latina) + -al», e conceptual, de «concepto sob a forma latina conceptu- (com -u do tema da 4.ª declinação latina) + -al». O Novo Dicionário Aurélio acrescenta ainda esta importante nota: as palavras conceitual e conceptual derivam ambas «do latim medieval conceptuale», sendo que a primeira chega até nós por via popular, e a segunda por via erudita.

Confirmo ainda que em todos os dicionários brasileiros consultados surgem entradas referentes às duas palavras em análise, o que, à partida, sugere que os dois termos são utilizados no Brasil.

O novo acordo ortográfico (AO) prevê que «Quando precedem um t, ç ou c, as letras c e p passam a escrever-se apenas se forem pronunciadas: ação em vez de acção, ótimo por óptimo. Nas sequências mpt, mpc e mpç, o m passa a ser escrito n quando o p não se escreve: perentório e não peremptório. Em todos estes casos, quando a consoante é realizada na pronúncia, realiza-se também na ortografia: pacto não passa a ser escrito pato. À semelhança do que já sucedia no Brasil, esta regra passa a aplicar-se também em Portugal, nos PALOP e em Timor» (www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=novoacordo-mudanca).

Deste modo, em Portugal, seguindo as coordenadas do AO, passaremos a ter concetual ou conceptual, pois, de acordo por exemplo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, a referida palavra pode ser pronunciada das duas formas (èpt ou èt); no Brasil, continuar-se-á a utilizar a forma gráfica já existente, isto é, conceptual, pois é exactamente assim que, segundo o Aulete Digital, ela é actualmente pronunciada naquele país. A palavra conceitual não sofrerá qualquer tipo de alteração.

Pedro Mateus
Tema: Origem de palavras Classe de Palavras: adjectivo
Áreas Linguísticas: Etimologia; Léxico Campos Linguísticos: Transcrição Fonética; Atestação/Significado de palavras