Análise sintáctica de «saber comer de faca e garfo» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Análise sintáctica de «saber comer de faca e garfo»

Na frase «O João já sabe comer de faca e garfo», podemos considerar como verbo apenas «sabe», e «comer de faca e garfo» como complemento directo? Ou, pelo contrário, «sabe comer» como verbo, e «de faca e garfo» como complemento circunstancial de modo? Muito obrigado.

Manuel Silva Portugal 4K

O verbo saber tem características que nos permitem incluí-lo entre os verbos auxiliares modais como poder e dever. Isto significa que saber e o infinitivo que o complementa formam uma locução verbal. Sendo assim, saber comer seria o núcleo do grupo verbal «saber comer de faca e garfo».

No entanto, a expressão «comer de faca e garfo» pode ter duas interpretações. Numa, e utilizando a antiga terminologia gramatical portuguesa, ocorre um complemento circunstancial de modo (que designa a maneira como se come) ou complemento circunstancial com valor instrumental (o meio através do qual se come, isto é, com faca e garfo). Noutra perspectiva, «comer de faca e garfo» pode constituir uma unidade lexical complexa, que tem alguma funcionalidade quando a opomos a outra unidade complexa como «comer com pauzinhos».

Assumindo que «de faca e garfo» é um constituinte da frase (e não um dos elementos de uma sequência lexical com a forma «comer de faca e garfo»), diria que, dentro da antiga Nomenclatura Gramatical (1967) portuguesa, a frase «o João já sabe comer de faca e garfo» se analisa da seguinte maneira:
«o João»: sujeito
«já sabe comer»: predicado
«de faca e garfo»: complemento circunstancial de modo

À luz da nova terminologia (TLEBS), a análise não difere substancialmente quanto à identificação dos elementos da frase:
«o João»: sujeito
«já sabe comer de faca e garfo»: predicado
«de faca e garfo»: modificador com valor de modo ou de instrumento.

Carlos Rocha
Tema: TLEBS