A regência do verbo concordar - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A regência do verbo concordar

Gostava de saber a regência do verbo concordar.

Maria Lurdes Santos Estudante Esmoriz, Portugal 12K

O verbo concordar pode aparecer associado a diferentes construções sintácticas.

i) Quando significa «ter a mesma opinião que alguém em relação a algo» e quando os dois complementos estão realizados («a pessoa com quem se concorda» e «aquilo com que se concorda»), o primeiro é antecedido da preposição com, e o segundo, da preposição em:

«Concordei com ele em tudo.»

No entanto, se o segundo complemento for uma oração finita introduzida pela conjunção que, a preposição em é preferencialmente omitida:

«Concordo contigo (em) que ele é o melhor jogador.»

ii) Quando significa «ter a mesma opinião que alguém em relação a algo», mas apenas o segundo complemento está realizado («aquilo com que se concorda»), este será antecedido da preposição com se for de natureza nominal, e da preposição em se for de natureza oracional:

«Concordei com tudo o que se decidiu.»

«Concordei em entregarmos o trabalho para a semana.»

iii) Quando significa «dar autorização, permitir», selecciona a preposição em:

«Concordou em deixar o filho sair.»

Eva Arim
Classe de Palavras: verbo