A regência do verbo alegar - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A regência do verbo alegar

«Outros alegam, diante dos altos impostos, de que, se pagarem tudo corretamente, no final das contas não lhes restará nada.»

Por que esta alternativa apresenta erro de regência?

Adriano Pereira dos Santos Estudante Paranavaí, Brasil 3K

A frase que apresenta possui uma construção a que alguns estudos linguísticos chamam dequeísta. Uma construção dequeísta é uma construção em foi indevidamente inserida uma preposição antes de uma oração completiva, no exemplo em questão a preposição de antes da oração completiva «que no final de contas não lhes restará nada».

O verbo alegar é transitivo directo, não regendo por isso qualquer preposição. A alternativa correcta seria assim: «Outros alegam, diante dos altos impostos, que, se pagarem tudo correctamente, no final de contas, não lhes restará nada.»

Eva Arim
Classe de Palavras: verbo