A regência do substantivo recusa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A regência do substantivo recusa

Deve-se dizer «ficou atónito perante a sua recusa em jantar», ou «ficou atónito perante a sua recusa de jantar»?

Carolina Marques Professora Porto, Portugal 4K

Os dois usos estão corretos, e é também possível dizer ou escrever «a sua recusa a jantar». Ou seja, o substantivo pode ser seguido das preposições em, de e a antes de substantivo ou de verbo no infinitivo.

O Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa, apresenta abonações do uso do substantivo recusa com as preposições em e de:

1 – «A recusa em apresentar desculpas valeu-lhe a perda de um amigo.»

2 – «O cliente pode fazer a recusa de qualquer produto danificado.»

O Dicionário UNESP do Português Contemporâneo também abona o uso de a:

2 – «Não esperava a recusa ao seu pedido de casamento.»

Ver ainda Francisco Fernandes, Dicionário de Regimes de Substantivos e Adjetivos, onde se confirmam estas regências.

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo