Sérgio Almeida - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Sérgio Almeida
Sérgio Almeida
1K

Sérgio Almeida (Luanda, 1975) é jornalista do Jornal de Notícias. É autor dos livros Análise Epistemológica da Treta, Armai-Vos uns aos Outros, Como Ficar Louco e Gostar Disso e Ob-dejectos.

 

 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo
Dúvidas do PR português enfurecem defensores do diploma

Sobre o Acordo Ortográfico (AO), em vigor em Portugal desde maio de 2015, o presidente da República (PR), Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu numa breve declaração «repensar essa matéria», se Angola e Moçambique não ratificarem definitivamente o tratado. Os especialistas defensores do AO criticam «ideia delirante» do PR, porque o que está em causa é já uma «questão multilateral». Texto transcrito do Jornal de Notícias de 5 de maio de 2016.

[Ver também: Acordo Ortográfico sob polémica presidencial]

Imagem de destaque do artigo

Apontamento publicado no "Jornal de Notícias" (5 de maio de 2015), no âmbito do trabalho assinado pelo jornalista Sérgio Almeida, dado à estampa pelo diário português, a propósito da celebração do Dia da Língua Portuguesa, instituído pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa ("Um dia para celebrar o Português").

Imagem de destaque do artigo

Que avaliação se pode fazer à consagração de um dia – no caso, o dia 5 de maio, assim instituída pela CPLP – para a celebração da língua portuguesa? Neste trabalho publicado no "Jornal de Notícias", dá-se conta do que falta (ainda), e muito: uma política concertada da língua, em Portugal como nos demais países lusófonos.

 

Uma esmagadora maioria dos linguistas, académicos e editores portugueses consultados está contra o Acordo. Uma notícia do Jornal de Notícias.

 

Se a implementação do Acordo Ortográfico dependesse apenas dos resultados do processo de consulta, há muito que o projecto teria sido abandonado. Das 27 entidades contactadas, apenas duas se mostraram favoráveis.