Rui Tavares - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Rui Tavares
Rui Tavares
3K

Rui Tavares (Lisboa, 1972) formou-se em História e História da Arte, especializando-se no estudo do século XVIII. Colabora no jornal Público, na revista Blitz e no canal SIC Notícias, e exerce atividades enquanto escritor, tradutor, historiador e político. São da sua autoria as seguintes obras literárias O Arquitecto, O Fiasco do Milénio, Pobre e Mal, Agradecido e O Regicídio.

 
Textos publicados pelo autor
O til de Fernãdo Venãcio
A propósito de um livro sobre a génese do português

Depois de, em 2014, se terem comemorado os 800 anos de um dos primeiros documentos em português – o testamento de Afonso II –, o tema das origens da língua portuguesa regressa à atualidade graças à publicação de Assim Nasceu uma Língua, obra da autoria do linguista, crítico literário, tradutor e escritor Fernando Venâncio, que o publicou em outubro de 2019, com a chancela da editora Guerra e Paz. A propósito do lançamento deste livro, inovador e polémico, transcreve-se com a devida vénia a crónica que o historiador e político português Rui Tavares assinou no jornal Público em 23/12/2019.

Ciganos: parte da nossa história e do nosso futuro
Marcas do caló no português europeu

Com «uma plateia de umas largas dezenas de ciganos portugueses, homens e mulheres praticamente em paridade, jovens e mais velhos, de diversas formações e trajetórias», o historiador e político português Rui Tavares descobre o legado deste grupo étnico na língua falada em Portugal. Gajo e o próprio termo calão são palavras que documentam o contacto com o caló, a língua tradicional dos Ciganos. Crónica assinada por este autor na edição do jornal Público de 9 de setembro de 2019 e aqui transcrita com a devida vénia.

Na imagem, Cigana com menino, de Adelino Ângelo (n. 1931), Museu de Lamego (fonte: MatrizNet).

O entãosismo

A propósito dos debates à volta da atualidade política internacional  na Europa, o historiador e cronista* Rui Tavares cria o neologismo entãosismo, com base no marcador discursivo «e então...?» e para traduzir o inglês whataboutism, termo aplicável a uma variante do argumento tu quoque, isto é, um contra-argumento falacioso através do qual se acusa o interlocutor de não praticar o que diz.

* in jornal "Público" de 31 de agosto de 2018.

Liberal já significou «generoso»; <br> hoje interpreta-se «egoísta»
Mudanças semânticas no discurso polírtico-ideológico em Portugal

«Algumas das palavras mais importantes do nosso vocabulário político mudaram de sentido no século XVIII para adquirirem um significado mais amplo», lembra neste artigo* o historiador Rui Tavares, a propósito do lançamento de um novo partido em Portugal que se reclama de «liberal» – à semelhança de outros dois já existentes, igualmente no espectro ideológico de direita. 

* in  jornal  português "Público". de 22 de agosto de 2018

O Grande Alfarrábio

Sobre o filósofo muçulmano Al Farabi (872-945), de cujo nome derivou o termo  termo afarrabista  sebo no Brasil – neste texto do historiador e político português Rui Tavares, que se transcreve a seguir na integra do jornal "Público" de 2 de março de 2018.