Rita Pimenta - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Rita Pimenta
Rita Pimenta
2K

Rita Pimenta é uma jornalista portuguesa, copidesque do Público, autora do blogue Letra Pequena.

 

 

 
Textos publicados pela autora
Imagem de destaque do artigo
Crónica da autora, na sua coluna "Palavras, expressões e algumas irritações", no "Público"

«Nos últimos anos, este mar azul, de águas muito salinas e temperaturas amenas, tem sido notícia não pela geografia física, mas pela geografia humana. Em rigor, desumana.»

Imagem de destaque do artigo

Os vários sentidos da palavra que designa o «pequeno mamífero insectívoro [com] os olhos pouco desenvolvidos, (...) as patas anteriores largas e robustas, que lhe permitem cavar galerias debaixo do solo, onde caça insectos e vermes», mas também relacionados com os humanos − neste apontamento* da jornalista Rita Pimenta, alusivo a um caso da atualidade portuguesa: a chamada operação policial e-toupeira, envolvendo dirigentes do Benfica.

* in suplemento P2 do jornal Público de 11 de março de  2018, na coluna da autoraPalavras, expressões e algumas irritações.

Imagem de destaque do artigo

Sobre a palavra calendário e as suas muitas aceções – «calendário lunar», «calendário solar», «calendário gregoriano», «calendário escolar», «calendário eleitoral», «calendário desportivo»... –, nesta crónica da jornalista Rita Pimenta, no jornal Público de 17/09/2017.

Imagem de destaque do artigo

"Xurdir" esteve entre as dez candidatas a Palavra do Ano 2014, o passatempo da iniciativa da Porto Editora. O significado deste tão pouco conhecido verbo intransitivo, um regionalismo transmontano com equivalência no galego «lutar pela vida», ou, em linguagem mais coloquial, «fazer pela vida» –, e como ele ganhou a notoriedade atual, no texto que a seguir se transcreve do jornal "Público" de 02/12/2014, com a devida vénia à autora.

 

 

Imagem de destaque do artigo

"Família" e algumas expressões com ela relacionadas – nesta crónica publicada na revista 2 do jornal “Público” de 6/07/2014, alusiva à “guerra” entre dois primos banqueiros portugueses que, zangando-se – diz o ditado, necessariamente adaptado –, «descobrem-se os ilícitos dinheiros».

[texto igualmente disponível no blogue da autora, Letra Pequena]