Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
João de Melo
João de Melo
685

João de Melo (Achadinha, Ilha de São Miguel (Açores), 1949) é um escritor português. Licenciou-se em Filologia Românica. Publicou o seu primeiro conto no jornal Diário Popular aos dezoito anos. É autor de inúmeras obras tendo sido galardoado com imensos prémios dos quais se destacam o Prémio Dinis da Luz, com o romance O Meu Mundo não é deste Reino, o Prémio Associação Cultural, com contos Entre Pássaro e Anjo e o Grande Prémio do Romance e Novela da A.P.E, com o romance Gente Feliz com Lágrimas. Recebeu ainda o Prémio Eça de Queirós da Cidade de Lisboa, o Prémio Cristóbal Colón das Cidades Capitais Ibero-Americanas (Lima, Peru) e o Prémio Fernando Namora (Prémio Antena 1 de Literatura).

 
Textos publicados pelo autor

Um extracto do Dicionário de Paixões do escritor português João de Melo, sobre a «instituição secreta» do erro ortográfico.

Não conhecem o erro ortográfico?

O maior deles é irreversível. Consiste em não o (re)conhecermos. E esse irreconhecimento fez dele uma instituição secreta.

Antigamente, não vinham apenas roupas, brinquedos, ferramentas e espantos nas grandes caixas de madeira que cruzavam os mares e os ventos, entre a América e as ilhas dos Açores. Vinham também os cheiros, os prodígios da riqueza imaginada, as inscrições a negro sobre a madeira aconchegada pela firmeza das cintas metálicas. E vinham palavras novas. Embrulhados com as roupas, chegavam dizeres, bilhetes com erros de ortografia, cartas movidas por estranhas palavras que em si mesmas misturavam dua...