Eunice Marta - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Eunice Marta
Eunice Marta
7K

Licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e mestre (Mestrado Interdisciplinar em Estudos Portugueses) pela Universidade Aberta. Professora de Português e de Francês. Coautora do Programa de Literaturas de Língua Portuguesa, para o 12.º ano de escolaridade em Portugal.

 
Textos publicados pela autora

As siglas são fruto de um «processo de criação vocabular que consiste em reduzir longos títulos a abreviações das palavras que os formam, constituídas das letras iniciais das palavras que os compõem» (Cunha e Cintra, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Sá da Costa, 2002, p. 116).  São, portanto, formadas a partir dos nomes que fazem parte do título das instituições, organizações, associações, serviços, sociedades, etc., sem que nelas constem as preposições  que ligam as palavras, como são os casos de ONU (Organização das Nações Unidas), FIFA (Fédération Internationale de Football Association).

Tendo como referência a norma apresentada por Cunha e Cintra sobre o processo de formação das siglas, concluímos que a sigla da Universidade Mandume ya Ndemufayo, UMN, está correcta, pois é formada pelas letras iniciais de cada um dos nomes da instituição (Universidade Mandume Ndemufayo1).

As siglas são formadas por grafemas e não por fonemas. Mesmo que o N inicial do nome próprio Ndemufayo represente um som nasal ou a nasalação inicial da palavra,...

No esquema rimático ABCBAC, existem dois tipos de rimas.

Predominam as rimas interpoladas em todo o poema, sendo a 2.ª e 3.ª estrofes exemplos de casos de rimas interpoladas na totalidade, uma vez que o 1.º verso rima com o 4.º, o 2.º com o 5.º e o 3.º com o 6.º, ou seja, há um intervalo de dois versos entre os dois versos de rima igual.

A 1.ª estrofe distingue-se a nível rimático, porque existe um caso de rima cruzada (em B), o que sucede «quando alterna com verso sem rima ou de rima diferente» (Amorim de Carvalho, Tratado de Versificação, Lisboa, Centro do Livro Brasileiro, 1981. p. 84).

Neste caso, a rima cruzada alterna com rima diferente, a interpolada – ABCBAC.

Agradeço as suas simpáticas palavras de apreço, sem deixar de lembrar que todo o trabalho realizado é fruto do contributo da equipa de colaboradores, e esperando não vir a defraudar as expetativas que os nossos leitores/consulentes depositam no serviço prestado pelo Ciberdúvidas.

Como sabemos, a atual terminologia linguística, prevista pelo Dicionário Terminológico como referência para os domínios do Funcionamento da Língua nos ensinos básico e secundário, tem causado alguma polémica.

O caso dos complementos oblíquos tem sido um dos mais questionados, talvez devido à preocupação dos professores em explicitarem as particularidades de cada situação, desejando ser mais precisos para analisarem a singularidade de cada caso.

A sua reflexão evidencia, mais uma vez, a sua preocupação em levar os alunos a tomarem consciência do funcionamento da língua, de modo que se apercebam da relação entre a forma e os conceitos e interiorizem a importância do conhecimento explícito da língua.

Desejamos-lhes a continuação de um bom trabalho!

A sua proposta transparece a reflexão atenta sobre as questões relativas à abordagem e ao tratamento dos conteúdos linguísticos (Conhecimento Explícito da Língua) na realidade do universo dos ensinos Básico e Secundário em Portugal.

Sobressai dessa análise a preocupação em desenvolver nos alunos a capacidade de interiorizarem a especificidade de cada conceito a que cada palavra pode estar associada, assim como a competência de estabelecerem as relações entre a palavra e as diferentes vertentes/áreas em que se pode integrar (a partir das quais resultam as respetivas classificações).

Agradecemos o facto de ter partilhado com o Ciberdúvidas as suas considerações sobre o tema. Resta-nos, apenas, desejar-lhe boa sorte, para que torne possível a concretização da tal proposta.