Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Ana Paula Tavares
Ana Paula Tavares
1K

Ana Paula Tavares (Lubango, 1952), é uma poetisa angolana. Licenciada em História e Mestre em Literaturas Africanas, está a fazer doutoramento em literatura. Foi Delegada da Cultura no Kwanza Norte e membro do júri do Prémio Nacional de Literatura de Angola de 1988 a 1990. Atualmente leciona na Universidade Católica de Lisboa. Da sua obra, destacam-se: Ritos de Passagem (1985); O Lago da Lua (1999) e A Cabeça de Salomé (2004).

 
Textos publicados pela autora

Começando por transcrever uma crónica publicada no quinzenário português Jornal de Letras, Artes e Ideias ("Um cê a mais", de Manuel Halpern), a poetisa angolana Ana Paula Tavares aborda aqui a nova grafia do português na sua rubrica Nossas Vozes. Crónica emitida na RDP África, no dia 13 de Outubro de 2010.

«Um cê a mais

As crianças praticam a língua como se esticassem fios de seda para prender os perímetros da vida e com os fios que sobram encontram tempo para enrolar devagarinho em bola de jogar sobre a terra húmida que ajudam a arrendondar com os pés pequenos.

"(...)Português, irmão, é difícil mas não custa"
(Lourentinho, personagem de um livro de
José Luandino Vieira)

"Pela voz da mãe eles conhecem a mãe deles..."
(Provérbio cabinda)

 

     Há nas nossas relações com a língua materna um certo efeito almofada que, como a mão fresca das mães nas nossas infâncias febris, amortece a queda, suaviza a dor.