Os acordos da discórdia - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
Os acordos da discórdia

José Lamego, secretário de Estado da Cooperação do Governo português, cometeu, no Telejornal do passado dia 1 da RTP (televisão pública de Portugal), um deslize linguístico cada vez mais generalizado entre quem aparece frequentemente a falar no audiovisual. Referiu-se a «acórdos» quando devia pronunciar /acôrdos/.
   Em casos como este, não há acordo que resista. Quem governa tem acrescidas responsabilidades no respeito pela língua que falamos -- e, francamente, ó dr. Lamego, com acordos assim tão desleixados, a discórdia será sempre inevitável...

Sobre o autor

Bacharel em Jornalismo pela Escola Superior de Meios de Comunicação Social de Lisboa e ex-coordenador executivo do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Colaborou em vários jornais, sobretudo com textos de análise política e social, nomeadamente no Expresso, Público, Notícias da Amadora e no extinto Comércio do Funchal, influente órgão da Imprensa até ao 25 de Abril.