O descrédito da descrença - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
O descrédito da descrença
O descrédito da descrença
Uma confusão lexical

Jogava-se o Chaves-Vitória de Setúbal para a penúltima jornada da I Liga Portuguesa de Futebol. Nenhuma das equipas  podia perder pontos dada a sua péssima classificação, à beira da despromoção de divisão. O segundo golo que ditaria a derrota da equipa flaviense – na descrição-comentário do relator da Tarde Desportiva da Antena 1 – tinha lançado o descrédito nos jogadores para a reviravolta no resultado (e, consequentemente, na não descida para a II Liga). Tratou-se de uma confusão lexical: se os jogadores do Chaves se haviam ressentido com o segundo golo adversário foi, sim e apenas, por quebra psicológica.  E, com o moral em baixo, o que acontece é a descrença* no que antes se acreditava.

* descrença [des + crença]  = «falta de crença ou de fé; irreligiosidade; impiedade; ceticismo»;  descrédito  (des + crédito) = «perda ou diminuição de confiança, influência ou reputação», «má fama, desonra».

Sobre a autora

Licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e mestre em Língua e Cultura Portuguesa – PLE/PL2.