Porque, porquê - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Porque, porquê

Porque "porque" não é acentuado?
   Embora me pareça que a conjunção causal "porque" não é acentuado por ser dissílabo átono, não encontrei explicação direta em nenhum livro de gramática da Língua Portuguesa no Brasil.
   Agora, um amigo disse-me que um certo autor afirma tratar-se de oxítono. É possível uma palavra ser átona e oxítona?

José Antônio Francisco Brasil 4K

Porque não é acentuada (ex.: `não faço porque não quero´).
   Em Portugal, a palavra porque termina numa vogal fechada média (na classificação de Celso Cunha/Lindley Cintra, como em regar, para Portugal). Na pronúncia vernácula, mesmo na aglutinação (por + que), a vogal e em porque não deve nunca ser muda, e a sílaba que deve ter uma tonicidade como se estivesse separada de por (ex.: ¦por-ke¦ e não ¦pork¦).
   No Brasil, a palavra porque, com o e pronunciado como uma vogal semifechada (classificação de Celso Cunha/Lindley Cintra, ex.: regar pronunciada ¦rêgar¦), pode fazer confusão com porquê (ex.: `o porquê das coisas´). Mas em porquê, palavra sem dúvida oxítona (aguda), a vogal e tem acento circunflexo.
    Ao seu dispor,

D´Silvas Filho