Olhò e vivà - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Olhò e vivà

Creio que se escreve "olhò" e "vivà" (ex.: «Olhò passarinho!» ou «Vivà Ucrânia!»), aliás sempre que tenho de escrever faço-o desta maneira. Porém, há sempre a estranheza por parte de quem lê e chegam até a dizer-me que não é assim que se deve escrever. Então, gostaria de saber se realmente é assim que se escreve e qual a explicação gramatical.

Fico muito grata se me esclarecerem esta dúvida, pois gostaria de explicar a quem não sabe e eventualmente corrigir quem me tem corrigido.

Obrigada.

Isabel Rodrigues Designer Lisboa, Portugal 6K

As grafias que apresenta só se admitem como reprodução do discurso e da pronunciação populares. O acento grave assinala uma contração vocálica, a da vogal final de uma palavra com a vogal do artigo definido que incia uma expressão nominal («olha o comboio» > «olhò comboio»; «viva a República» > «vivà República»).

O acento grave fica legitimado por formas como comà ou comò (da conjunção arcaica coma, seguida de artigo definido), ou ainda ou còs (da conjunção arcaica ca, seguida de artigo definido), as quais só ocorrem quando se pretende reproduzir a linguagem popular e regional («tomara eu ter amigos "comòs" teus»; «o teu carro é maior "cò" meu»).

Sobre o uso do acento grave nestas formas, ver Rebelo Gonçalves, Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (1947, p. 184-188 – trata-se de uma obra associada à norma ortográfica de 1945, mas mantém a sua atualidade). 

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma